Muitos acham que o Mega Drive foi um console que teve apenas duas versões oficiais da SEGA, estas sendo o modelo 1 (conhecido como Mega Drive 1 e 2 no Brasil) e o Modelo 2 (aqui chamado como Mega Drive 3), só que ele não foi apenas isto.

O console recebeu uma repaginava pela JVC/Victor e se tornou um híbrido com o seu leitor de CD, o Mega-CD se tornou o Wondermega, como vocês podem conferir no link abaixo:

As múltiplas faces do Mega Drive – Wondermega

A Aiwa também fez a sua parte inserindo o Mega Drive num minisystem onde o mesmo, além de rodar cartuchos de Mega Drive também poderia ler CD’s do Mega-CD, se tornando uma das peças mais raras a serem encontradas por aí por terem sido fabricadas poucas unidades, que vocês podem conferir aqui.

As múltiplas faces do Mega Drive – Aiwa Mega-CD

Mas o Mega Drive não parou por aí, muito pelo contrário, além de outras versões autorizadas e até mesmo clones (que estes mereceriam várias postagens a parte), o console também foi parar nos PC’s e não em forma de emulador!

A SEGA em parceria com a IBM criaram um computador híbrido, no qual além de uma placa-mãe com componentes de PC havia acoplada uma unidade que permitiria a leitura de cartuchos de Mega Drive.

Teradrive

Lançado em 1991 no Japão, o TeraDrive teve três modelos que poderiam ser adquiridos por valores que variaram entre ¥148,000 até ¥248,000.

Apesar do mesmo ter uma unidade de Mega Drive embutido, o computador tinha dois modos completamente separados. Num dado momento o usuário poderia usar o modo PC do TeraDrive, isto é, acessar o DOS/Windows em sua forma pura e num outro momento, se o usuário quisesse, poderia rodar os seus jogos de Mega Drive colocando os cartuchos no slot apropriado.

Teradrive

Uma forma bem diferente de trazer o console para um mercado que não era apropriadamente Gamer, a SEGA junto com a IBM deram um passo bem interessante utilizando-se do TeraDrive.

Não tivemos o Giga Drive, que muitas revistas nos prometeram, mas, pelo menos, o TeraDrive existiu.

Uma propaganda antiga do TeraDrive lá no Japão.

E, ainda, tem informações de arquivo que a SEGA do Japão ainda mantém no ar. Se tem interesse em conhecer mais um pouco sobre o sistema acesse!