Categoria

Games

Categoria

Zero the Kamikaze Squirrel: shurikens e pancadaria com um esquilo badass

A década de 90 foi marcada pela presença de diversos mascotes aventureiros e foi nesta onda que surgiu a franquia Aero The Acro-Bat. O sucesso foi tanto que o rival de Aero, Zero, ganhou o seu próprio game: uma aventura spin-off que ocorre entre o primeiro e segundo título da franquia principal. Zero the Kamikaze Squirrel, coloca Zero numa aventura de volta a sua terra natal. Após receber uma carta de sua ex-namorada, Ammy, Zero descobre que Jacques Le Sheets invadiu Stony Forest e está cortando as árvores locais com o objetivo de transforma-las em papel para imprimir dinheiro falso. A aventura começa quando Zero está chegando na ilha e seu avião é abatido. O protagonista se destaca com seu visual badass consagrado pelo cinema da época, com bandana, jaqueta aberta, calça jeans e botas. Em outras palavras, não temos um personagem “fofo” como em outros games, mas sim um…

Nights into Dreams – Voe pelos céus coloridos neste clássico do Sega Saturn!

Lançado em 5 de julho de 1996 para o Saturn (portanto completando 23 anos hoje!), “Nights into Dreams…” marcou os fãs da Sega como o primeiro jogo da Sonic Team que não era estrelado pelo ouriço azul, trazendo novamente a dupla Yuji Naka como produtor e líder de programação e Naoto Oshima como diretor e designer de personagens (ambos criadores de Sonic). Na história, os jogadores assumem o papel de Claris ou Elliot, duas crianças que vivem na cidade de Twin Seeds. Em seus sonhos, eles entram no mundo de Nightopia, onde todos os sonhos humanos são realizados. O problema é que uma criatura maligna conhecida como Wizeman está reunindo poder para assumir o controle de Nightopia e eventualmente o mundo real. Para isso ele criou numerosas criaturas chamadas “Nightmaren”, incluindo dois seres acrobatas capazes de voar chamados NiGHTS e Reala. NiGHTS acaba se rebelando contra os planos de Wizeman,…

Genesis Does What Nintendon’t – Criando uma campanha publicitária genial!

Como a maioria dos fãs deve se lembrar, a indústria de videogames nos anos 90 foi marcada pela guerra travada entre Sega e Nintendo e seus respectivos consoles 16 Bits. No final das contas, o grande vencedor foi o consumidor, que ganhava jogos cada vez melhores e com preços mais acessíveis. A Nintendo dominou o mercado mundial de 8 Bits, mas a Sega chegou decidida a emplacar o Mega Drive no mercado, algo que conseguiu com sucesso no Estados Unidos – o maior mercado de games da época, junto com o Japão. Mas tal empreitada não foi fácil para o Sega Genesis (como era conhecido o Mega Drive nos EUA), e para isso a Sega of America (SoA) teve que mudar totalmente suas campanhas de Marketing e Publicidade, antes usadas para o Master System, para conquistar o público norte-americano. Michael Katz era o CEO da SoA quando o Genesis foi…

The Revenge of Shinobi – As Artes Ninjas na Tela do Mega Drive!

Para mostrar o poder de fogo do Mega Drive, a Sega lançou em 1989 “The Revenge of Shinobi” (conhecido como Super Shinobi no Japão – saiba mais), uma sequência de “Shinobi”, lançado em 1987 e que era bastante popular nas casas de fliperamas ao apresentar um ninja no mundo moderno – recebeu uma versão para Master System em 1988. Embora apresentasse o mesmo tema da versão arcade, o design e sistema de jogo foram completamente alterados para destacar os atributos do Mega Drive, o que fez o game ser tão bem sucedido e popular no mercado, lembrado com carinho pelos fãs até os dias de hoje. A história se passa três anos depois do game original, com a organização criminosa Zeed reformulando-se e passando a se chamar “Neo Zeed”. Decidida a se vingar do clã Oboro do ninja Joe Musashi, que frustrou seus planos no passado, essa nova organização mata…

Ocidente vs Oriente: A Confusão de Capas e Nomes!

Hoje em dia, graças ao avanço tecnológico e à globalização, os mais variados produtos seguem uma padronização massificada nos diferentes mercados mundiais, o que claro inclui os jogos de videogames. Um mesmo jogo, por exemplo, pode ser lançado em diferentes países de forma simultânea, ou com poucos dias de diferença, alterando-se apenas a sua localização para o idioma desejado – em alguns casos, o próprio jogo já oferece várias opções de idiomas. Mas lá nos “jurássicos” anos 80/90 as coisas eram bem diferentes. Cada mercado tinha grandes diferenças e variações culturais entre si, sem as opções da “informação instantânea” que a internet nos proporciona hoje. Naquela época o Japão era o principal fornecedor de games, sendo que muitos desses títulos tinham várias referências à cultura oriental, que não era muito difundida no ocidente. Além de levar meses para chegar ao outro lado do mundo, vários jogos sofriam “adaptações” para o público…

10 músicas inesquecíveis do Mega Drive

Hoje em dia, a trilha sonora dos jogos eletrônicos pode contar com bandas, músicas cantadas, e até orquestrações. Já antigamente, os videogames usavam chips que reproduziam sons de instrumentos da realidade graças as limitações técnicas. O interessante é que a limitação sonora acabou colocando mais uma identidade aos jogos antigos, e hoje em dia existem bandas que utilizam os chamados “chiptunes” para criarem composições. Vale dizer que a falta de recursos tecnológicos nunca impediu a criação de composições memoráveis, às vezes ressaltando ainda mais o talento do músico em criar uma faixa agradável. Pensando nisso, decidimos selecionar dez músicas do Mega Drive que ficam “grudadas” na cabeça de qualquer jogador. Não necessariamente as melhores, mas aquelas que quando você escuta já faz analogia com o jogo. Lembrando que é uma seleção, e que não estão em ordem de importância, portanto, se alguma música ficou de fora, deixe nos comentários! 10…

Thunder Force IV – Batalhas espaciais com trilha sonora épica!

Vários jogos marcaram o Mega Drive ao longo de sua vida, mas um gênero que sempre atraiu a atenção dos fãs é o shoot’em up, também conhecido carinhosamente pelos brasileiros como jogos de “navinha”, que faziam bonito no console de 16 Bits da Sega, especialmente pelo seu rápido processador que permitia ação veloz e muitos inimigos na tela – elementos essenciais em um bom jogo de “navinha”. Desde o lançamento de “Thunder Force II” (um dos primeiros games do gênero a aparecer no console) o Mega Drive foi uma das melhores casas para esse tipo de jogo com inúmeros títulos inesquecíveis, sendo um deles “Thunder Force IV” (também conhecido como Lightening Force: Quest for the Darkstar), lançado em 27 de julho de 1992. Apesar de meio esquecida atualmente, a série “Thunder Force” fez história nos anos 80 e 90, marcando toda uma geração de gamers. Produzida pela saudosa Technosoft, o…

Alien Storm – Seja um caçador de aliens e salve o mundo da destruição!

Lançado originalmente pela Sega nos arcades em 1990, “Alien Storm” também recebeu versões para o Master System e Mega Drive, oferecendo mais uma opção de “jogue um fliperama no conforto de casa”. Aproveitando a onda de sucessos de jogos beat’em up como “Golden Axe” da própria Sega, a empresa resolveu investir em uma tema scifi desta vez: invasores alienígenas invadiram a Terra, espalhando o caos e o terror por ondem passam. A única coisa que está entre eles e a dominação total do planeta é o grupo de forças especiais conhecido como “Alien Busters” (Caçadores de Aliens), composto por Karen, especialista em armas de fogo; Garth, encarregado de utilizar eletricidade para exterminar os aliens e Scooter, o robô criado para ajudá-los nesta missão. Apesar de possuir a mesma mecânica e os três heróis do arcade, a versão de Mega Drive possui cenários diferentes que o quase o tornam um novo…

Sonic the Hedgehog – Nasce um ícone no mundo dos games!

No início da década de 1990, a Sega procurava um personagem que pudesse simbolizar e traduzir bem seu perfil como uma companhia de games (uma das maiores da época, diga-se de passagem), assim como pudesse representar o Mega Drive, que já estava no mercado e fazia grande sucesso especialmente nos EUA (como o Genesis). E assim, com toda essa pressão, nasceu “Sonic The Hedgehog”, que tomava para si esta difícil tarefa. O ouriço esteve mesmo disputando com o Mario da Nintendo pelo título de “melhor mascote” pelos saudosos anos das décadas passadas, em uma concorrência que gerava um show de criatividade e inventividade que marcaria época. Antes de a empresa tornar-se softhouse dedicada à produção de jogos, Sonic era franquia exclusiva para aparelhos fabricados pela Sega. Não se sabe se é por isso, mas os jogos do Sonic naquela época tinham um ar muito mais exclusivo e especial. E foi justamente…