Categoria

Memória

Categoria

As múltiplas faces do Mega Drive – Aiwa Mega-CD

Temos mais uma curiosidade para mostrar a todos vocês que nos acompanham neste blog. Vocês sabiam que a SEGA, em união com a Aiwa, veio a trazer somente para o Japão um micro system onde o jogador poderia rodar tanto jogos do Mega Drive quanto do Mega-CD e este produto tem um nome. Aiwa Mega-CD! Então venha conhecer um pouco mais acerca desta forma interessante que o Mega tomou para si lá no Japão. É um player de música? É um videogame? Decide aí! Muitas empresas ao longo do tempo de vida de um produto, principalmente quando este é um console, tentam de todas as formas possíveis trazer uma sobrevida para o mesmo. Assim começam parcerias com as mais diversas produtoras de eletro-eletrônicos para que seja possível criar produtos que possam unir os seus videogames com as marcas parcerias. Aiwa, JVC, Samsung foram apenas algumas destas empresas que se associaram…

As múltiplas faces do Mega Drive – Wondermega

Uma coisa é certa, não foi somente no Brasil que o Mega Drive ganhou vários designs, alguns deles feitos exclusivamente pela Tectoy. Lá fora, o nosso adorado sistema de 16 bits também ganhou caras e bocas feitas por empresas autorizadas pela SEGA, hoje iremos falar um pouco acerca de uma dela, no caso, o Wondermega criado pela JVC/Victor. O Wondermega é uma peça única da engenharia onde a Victor, subsidiária da JVC, veio a desenvolver o design do console em parceria com a SEGA. Com a evidente popularidade do MEGA CD no Japão, o mercado para se criar um console onde tanto a peça principal (Mega Drive) e o Addon poderiam estar juntos numa mesma case parecia bastante promissor e disto a versão da Victor veio a nascer. O console foi lançado inicialmente no Japão em 1992 ao preço de ¥82,800 (algo em torno de US$ 500,00 na época) e…

Muito antes do Steam, Live e PSN: conheça o revolucionário SEGA Channel

Muito se fala hoje em dia na evolução da distribuição digital por conta de serviços como Steam, Live e PSN, só que poucos se lembram, ou talvez saibam que a SEGA havia lançado um serviço que foi revolucionário para a sua época e, até hoje, é referência no ramo de distribuição digital. Vamos falar sobre o Sega Channel? O futuro é agora O SEGA Channel foi um projeto desenvolvido pela SEGA para o seu console de 16 bits, o Mega Drive. Ele era capaz de transmitir dados digitais para os donos do console através da TV a cabo. A principal ideia do Sega Channel, que começou a ser testado em 1994 nos EUA, era a distribuição de jogos de forma completamente digital, possibilitando aos usuários jogarem títulos completos e, até mesmo, receber demos de títulos que só seriam lançados dali a alguns meses e isto de forma completamente ilimitada mediante a uma mensalidade.…

A História do Master System – Parte II

Continuando com o nosso relato sobre a “História do Master System” (a primeira parte você pode ler clicando aqui), já vimos que o Sega Mark III era um videogame mais robusto do que o seu maior concorrente, o Famicom (ou NES), mas infelizmente ele não conseguiu superar o adversário em terras nipônicas. Por mais frustrante que fosse, a Sega resolveu não desistir e pelo contrário, fez planos audaciosos para lançar o console no território onde a Nintendo reinava absoluta (até mais do que no Japão): os Estados Unidos. Certamente uma decisão que demonstrou coragem e personalidade. O Sega Mark III foi então totalmente reformulado para entrar na residência dos norte-americanos e em outros países, rebatizado de Master System. Com uma cor preta e detalhes em vermelho, tinha um visual moderno e arrojado que realmente chamava a atenção de quem o via. olha só que bonitão o design ocidental do Master…

Algumas Curiosidades do Mega Drive

Como todo videogame criado por aí, existem aquelas curiosidades que somente os fãs ou os mais assíduos por videogames conhecem, então resolvemos compartilhar algumas que, talvez, muitos já conheçam e outras conhecendo provavelmente agora, vamos lá? AS MÚLTIPLAS FACES DO MEGA DRIVE… O console de 16 bits da SEGA não teve apenas um único formato, como é o caso dos já conhecidos Modelo 1 (Mega Drive 1 e 2 no Brasil) e Modelo 2 (Mega Drive 3 no Brasil), mas, sim, teve diversos corpos para atender mercados diferentes, conheça alguns agora: WonderMega (Xeye nos EUA), criado pela empresa JVC, a mesma juntou o console e a unidade de leitura (MEGA CD) num único corpo de plástico; Multi-Mega (CDX), este foi criado pela SEGA e o Mega Drive juntamente com o MEGA CD agora estavam do tamanho de um disc-man para a época; CSD-GM1, criado pela Aiwa, a empresa optou em…

Quem quer brincar de minigames põe o dedo aqui!

Nos anos oitenta não era exatamente fácil conseguir um videogame de mesa. O mundo não era “sem fronteiras” como hoje. Importar equipamentos eletrônicos não era um trabalho nem fácil e nem barato, assim sendo um console era algo que não era acessível a todo mundo. Sendo também uma época em que a tecnologia por si só além de não ser algo barato e acessível não era tão evoluída, não tínhamos as facilidades de consoles portáteis e afins – o Game Boy além de caro, só podia ser importado e o Game Gear só chegaria ao mercado nacional em 1991. Para atender a demanda de pessoas ávidas a se tornarem gamers e sem o poder aquisitivo para comprar um console, surgiram nesse período os famosos “minigames”, opções portáteis e baratas para quem queria adentrar na diversão do entretenimento eletrônico. Aqui no Brasil o usual era encontrar minigames vindos diretamente do Paraguai,…

A História do Mega Drive – Parte III

Nos Estados Unidos, a Nintendo parecia um verdadeiro tanque de guerra, inquebrável, inalcançável, imparável e isto era a intenção da empresa desde o começo. Ela usava meios bem ortodoxos para manter a sua superioridade mercadológica. As lojas eram cerceadas para que não vendessem produtos da SEGA e desenvolvedores eram forçados a assinar contratos de exclusividades pesados onde estas só podiam produzir para os consoles da Nintendo. Mas o que a Nintendo parecia não ver, ou não queria fazê-lo, é que todo mundo adora ver uma história de Davi x Golias, ver um tirano deposto e ter uma queda colossal, e disto muitas desenvolvedoras começaram a perceber o Mega Drive (Genesis) como uma alternativa de possíveis lucros. Empresas populares como a Namco mudou de lado na primeira oportunidade, enquanto que a Electronic Arts fez engenharia reversa no console da SEGA para garantir outros tipos de contratos antes de começar a produzir…

Confira o Mega Drive que se transforma em Megatron da série Transformers

* Dica enviada por Ruan Oliveira no Facebook oficial da Tectoy: A Sega juntamente com a empresa japonesa fabricante de brinquedos Takara Tomy, juntaram seus esforços para lançar um novo MEGA DRIVE e um novo boneco da linha Transformers. E a melhor notícia é que os dois são o mesmo produto! É isso mesmo, um dos 16 Bits mais querido do mundo pode se transformar no maligno Megatron, o principal vilão da franquia Transformers. E, ao invés de se transformar em sua clássica forma de arma/tanque, o Megatron vira um Mega Drive, com direito a um controle de três botões e um cartucho do Sonic the Hedgehog – que obviamente não funciona, antes que você se empolgue! A edição limitadíssima foi lançada em 2014 apenas no Japão, sendo que em sua versão robô possui cerca de 19 cm de altura e conta com várias partes articuladas. Fez tanto sucesso que…

Teddy Ruxpin, o urso falante que encantou toda uma geração

Continuando com a nossa série de “matérias nostálgicas”, hoje vamos relembrar de outro produto lançado pela Tectoy da geração pré-Master System, o ursinho Teddy Ruxpin, que chegou ao mercado brasileiro em novembro de 1988. Ué, um ursinho de pelúcia, uma escolha estranha para uma empresa que estava apostando em produtos eletrônicos avançados (para a época) como os anteriormente lançados Pistola Zillion (leia mais) e Pense Bem (leia mais). Mas não estamos falando de um urso de pelúcia qualquer, o nosso amigo Teddy tinha uma particularidade toda especial: ele contava histórias e cantava músicas de acordo com a, hoje jurássica, fita cassete (lembram dela?) que era inserida em suas costas. Enquanto falava, ele mexia os olhos e a boca em sincronia com o áudio, era simplesmente mágico! Foi um dos brinquedos mais inovadores que certamente marcou a infância de muitas crianças no final dos anos 80 – quem teve um jamais…

Pense Bem, o brinquedo educativo que foi sonho de consumo nos final dos anos 80

Como já vimos aqui, a Tectoy iniciou sua empreitada na indústria de aparelhos eletrônicos no Brasil com o lançamento da saudosa pistola Zillion, em sua primeira parceria com a Sega (o início de um longo casamento). No mesmo ano, em 1988, a empresa lançou outro produto que alcançou grande popularidade entre os brasileiros, o Pense Bem. Ele era um brinquedo educativo que lembrava um computador (na época um item para poucos), na verdade uma versão licenciada do Smart Start, criado pela Vtech (Video Technology International), de Hong Kong. Logo que foi lançado, virou sonho de consumo da criançada (inclusive o meu!), afinal, era o primeiro contato que as crianças tinham com informática e uma “alta tecnologia computadorizada”. Como dizia o slogan do aparelho: “Pense Bem, muito mais que um brinquedo, quase um computador”. Além de ter atividades básicas embutidas, o Pense Bem era mais popular com livros de perguntas (onde…

A Magia está no ar! Relembre da Estrelinha Mágica da Tectoy

Créditos imagem: Blog Ana Caldatto Se você teve uma infância no final dos anos 80, certamente deve se lembrar de um brinquedo encantador da Tectoy feito em parceria com os estúdios Maurício de Souza: a Estrelinha Mágica da Turma da Mônica! Feita de plástico duro e resistente, ela era bem pequena e cabia na palma da mão. E era justamente segurando-a que a mágica acontecia: uma luz interna brilhava enquanto produzia um “som mágico”. O produto foi um marco tecnológico na época e fez um sucesso gigantesco, vendendo mais de 1 milhão de unidades no Brasil – afinal, era uma estrela, que cabia na palma da sua mão! E que ainda brilhava e “cantava”! A criançada dos anos 80 enlouqueceu com  a Estrelinha Mágica. A procura foi tão grande que acabou com o estoque rapidamente, a a Tectoy não estava conseguindo vencer a demanda das lojas e clientes. Essa carismática…

Veja aqui a relação entre as Pistolas Zillion e Light Phaser do Master System

Um dos primeiros produtos da Tectoy (na época Tec Toy) marcou também o início do relacionamento da empresa com a japonesa Sega. Em 1988 chegava ao mercado brasileiro a revolucionária pistola Zillion (inclusive antes do Master System nacional), um brinquedo baseado no anime homônimo que fazia bastante sucesso na época (especialmente aqui no Brasil), lançado em 1987 pela Sega em parceria com o estúdio de animação Tatsunoko Production. Essa pistola nada mais era do que um Laser Tag similar aos Paintballs de hoje em dia, mas ao invés de tinta, usava raios infravermelhos para atingir um alvo (o Zillion Badge) triangular preso ao peito do adversário. Quando atingido, o alvo disparava um alarme e piscava, indicando que o jogador estava fora da partida. Curiosamente, o design das futuristas pistolas Zillion foram inspiradas na Light Phaser do Master System, que chegou ao mercado pela primeira vez em 1986, junto com o lançamento do…