Hideo Kojima, um dos mais famosos game designers da atualidade, tem presença confirmada no evento Brasil Game Show nos dias 11, 12 e 13 de outubro, onde poderá ser encontrado em diversas ocasiões no local – confira a agenda completa.

Conhecido principalmente pela franquia best-seller Metal Gear Solid, Kojima cravou seu nome na indústria de games ao inovar o mercado com o gênero furtivo e o uso de narrativas complexas – explorando como ninguém uma representação cinematográfica em jogos de grande escala.

Mas MGS não é a única franquia pela qual Kojima se aventurou, inclusive com alguns games lançados para consoles da Sega! Vamos relembrar de dois clássicos dele?

Snatcher

O clássico cyberpunk lançado originalmente para as plataformas PC-88 e MSX2 em 1988, chegou apenas no Sega CD em 1994 (ironicamente apenas nos EUA e Europa, e não no Japão), baseada em uma versão lançada antes no PC-Engine, em 1992.

Até então, a versão para o Sega CD (sem o envolvimento direto de Kojima) era a única disponível totalmente em inglês, o que a tornou um item desejado pelos fãs do game, que também tinha um conteúdo maior e mais completo do que as outras lançadas anteriormente.

Como era de se esperar de um game de Kojima, Snatcher tem como principal chamariz a sua narrativa complexa, que bebe da fonte do gênero scifi conhecido como cyberpunk (alta tecnologia misturado com elementos marginalizados) e com muitas influências de filmes consagrados como Blade Runner e O Exterminador do Futuro.

Também classificado como Adventure (com opções para interagir nos cenários como “Olhar” e “Falar”) ou ainda “Digital Comic”, o título permite ao jogador chegar ao final do game com maior ou menor dificuldade, de acordo com as opções que escolher durante a aventura. É como se o jogador escolhesse o roteiro do game, com um objetivo único, mas com vários caminhos que levam a ele.

Neo Kobe City – um lugar de loucura, decadência e muito neon!

A história se passa no ano de 2047, com um mundo vivendo sob a ameaça dos Snatchers, seres cibernéticos com aparência humana – alguns deles, inclusive, aparecem no lugar de importantes líderes mundiais. Essas ameaças robóticas têm a capacidade de imitar perfeitamente os humanos em todos os aspectos, mesmo suando ou sangrando.

Os Snatchers matam os humanos para assumirem os seus lugares. Ninguém sabe de onde eles vieram ou quais são os seus propósitos. A única coisa que a humanidade sabe é que ninguém mais está seguro e ninguém é confiável.

eis um Snatcher

É claro que esse cenário perturbador deixou as pessoas ainda mais paranoicas, e uma verdadeira “caça às bruxas” começou, com vários assassinatos e genocídios, geralmente de pessoas que eram confundidas com Snatchers.

A cidade com o maior índice de surgimento de Snatchers é a cidade de Neo-Kobe, localizada no Japão. Foi lá que se formou uma unidade para combater os Snatchers, a J.U.N.K.E.R.Japanese Undercover Neuro Kinetic Elimitation Ranger ou para usar um temor mais simples, “Caçadores de Snatcher”.

o herói do game, Gilliam e sua namorada Jamie

O jogador assume o papel de Gilliam Seed, um novato na JUNKER que sofre de amnésia. Gilliam e sua namorada Jamie foram encontrados no local onde o primeiro Snatcher apareceu anos atrás, porém ambos não se recordam de nada.

E é neste contexto que a aventura começa com Gilliam recebendo sua primeira missão: um JUNKER veterano desapareceu em campo e agora o agente novato deve ir até o local da sua última chamada e descobrir o que aconteceu. Apenas a ponta do iceberg para a complexa e envolvente história que irá se desenrolar no decorrer do game.

Em 1996 Snatcher recebeu ainda versões para o PlayStation e o Sega Saturn (somente no Japão) com algumas diferenças nos visuais, alguns extras, músicas remixadas e partes censuradas (motivos que levam muitos fãs preferirem a versão do Sega CD). Em 2014 o estúdio indie CollectorVision Games anunciou que estava fazendo uma versão para o Sega Dreamcast, mas desde então não se teve mais notícias.

vítimas dos Snatchers!

Policenauts

Seguindo a mesma linha “Aventura-cinemática” de Snatcher, Hideo Kojima lançou então “Policenauts” em 1994 para o computador japonês PC-98, recebendo posteriormente versões para 3DO (1995), PlayStation e Saturn (1996), PSP (2008) e PlayStation 3 (via PSN).

Lançado quatro anos antes do fenômeno “Metal Gear Solid“, foi escrito e dirigido por um Hideo Kojima que não possuía nem metade da sua fama atual – mas muitos fãs consideram “Policenauts” a obra-prima do game designer!

Como nunca foi lançado fora do Japão (uma tradução em inglês feita por fãs foi lançada para PlayStation em 2009 e para o Saturn em 2016), o game nunca teve o reconhecimento merecido em terras ocidentais, tornando-se um “clássico esquecido” de Kojima.

A narrativa também busca inspiração no gênero scifi, mas ao invés de Blade Runner e O Exterminador do Futuro, as principais referências são os filmes da série “Máquina Mortífera” e animes como “Cowboy Bebop” e o clássico “Akira”.

A história do game começa no ano de 2010, quando a humanidade lança a Beyond Coast, a primeira colônia espacial totalmente funcional. Para manter a lei e a ordem da Beyond Coast, foram selecionados cinco dos melhores policiais da Terra: Gates Becker da Scotland Yard, Joseph Sadaoki Tokugawa, do Departamento de Polícia Metropolitana de Tóquio, Salvatore Toscanini do Departamento de Polícia de Nova York e, finalmente, Ed Brown e Jonathan Ingram do Departamento de Polícia de Los Angeles. Como astronautas com autoridade policial, eles se tornaram conhecidos como “Policenauts”.

Jonathan Ingram, o protagonista do game

Durante uma operação no espaço, um estranho acidente acontece e Jonathan perde o controle do seu traje espacial, perdendo-se na vastidão do espaço. Vinte e cinco anos depois, Jonathan é encontrado vivo e bem, graças ao módulo de criopreservação em seu traje, que também ajudou a preservar sua juventude.

Agora no ano de 2040, Jonathan trabalha como um investigar particular na cidade Velha Los Angeles na Terra (agora ultrapassada e habitada por aqueles que não têm dinheiro para ir à Beyond), quando um dia sua ex-esposa Lorraine (casados antes dele se perder no espaço e agora com 55 anos), vem visitá-lo com um pedido. Seu segundo e atual marido desapareceu e as únicas pistas que deixou para trás são uma folha rasgada, um conjunto de cápsulas e a misteriosa palavra “Plato”.

Embora Jonathan esteja relutante em aceitar seu pedido, ele mais tarde testemunha Lorraine ser assassinada do lado de fora do seu escritório por um homem misterioso. Determinado a vingar sua morte, nosso jovem herói volta à Beyond Coast para buscar a ajuda de seu ex-parceiro Ed Brown, agora um coroa rabugento. E assim começa a sua aventura.

olha só quem aparece: Meryl Silverburgh

Além de várias referências a Snatcher (como aparições dos personagens Random Hajile, Jamie Seed e Napoleon), há também elementos de Metal Gear (até então somente os dois primeiros games lançados), como um bar chamado Solid Snake e a primeira aparição de Meryl Silverburgh, que mais tarde se tornaria personagem de Metal Gear Solid.

Policenauts para Sega Saturn é considerado por muitos fãs como a “versão definitiva” do jogo, que além do conteúdo das outras edições, traz algumas melhorias, como cenas de anime rodando a 24 quadros por segundo (no PlayStation roda a apenas 15), cenas e dialógos extras, menos censura, entre outros.

E aí, gostaram de conhecer essas duas obras de Hideo Kojima que ganharam versões em consoles da Sega? Já conheciam ou jogaram eles? Deixe sua opinião aí para nós nos comentários!

os heróis Ed e Jonathan, inspirados nos personagens Murtaugh (Danny Glover) e Riggs (Mel Gibson) de Máquina Mortífera

  • danielgfm

    hehe