Power Ranges“, a clássica série que foi um estrondoso sucesso nos anos 90, está de volta aos cinemas com estreia nesta quinta-feira (23), com um novo filme que se inspira no antigo programa para reapresentar os jovens heróis para uma nova geração de fãs – e também tentar resgatar os antigos.

Se isso vai dar certo, nós não sabemos ainda, mas o que sabemos é que o Mega Drive recebeu em 1995 um jogo baseado no longa “Mighty Morphin Power Rangers: The Movie” (ou Power Rangers: O Filme) lançado no mesmo ano.

Produzido pela Banpresto (hoje propriedade da Bandai Namco), o jogo segue o estilo de pancadaria 2D, consagrado por “Streets of Rage“, onde até dois jogadores simultâneos podem controlar os vários Rangers e seus Zords.

São seis cenários ao todo, que não se baseiam apenas no filme, mas também em alguns episódios da segunda temporada da série – como o retorno de Tommy como o Ranger Branco. A história é centrada no vilão Ivan Ooze e seus planos para conquistar a Terra e destruir Zordon e os Rangers, que é mostrada com detalhes nas cutscenes de uma fase para outra.

Ao longo do game, o jogador poderá escolher de um total de nove Rangers, incluindo os clássicos Tommy, Jason, Billy, Zach, Kimberly e Trini, e os novos Adam, Aisha e Rocky.

É claro que, como sendo um jogo dos Power Rangers, não poderia faltar batalhas com os gigantes robôs de combate, os Zords! Dependendo da fase, o jogador pode escolher entre o clássico Thunder Megazord, que tem movimentos rápidos, poder de defesa e seu clássico ataque com o Sabre do Trovão; o Tigre Branco, o Zord principal do Ranger Branco ou ainda o Tigrezord; Ninja Megazord (o mais difícil de se controlar) e finalmente o Falcão Zord, o mais leve e ágil Zord do jogo.

Como representante de um beat’em up, o jogo dos Power Rangers está longe de ter a mesma qualidade da magistral série “Streets of Rage”, mas apresenta qualidade o suficiente para agradar aos fãs do gênero e principalmente da série. Infelizmente os ataques dos Rangers não têm muitas diferenças entre si, um elemento que poderia ter sido melhor abordado pela desenvolvedora, assim como uma variedade maior de inimigos – destaque para os chefões.

Mighty Morphin Power Rangers: The Movie” para Mega Drive é um jogo que adapta fielmente a narrativa do filme e ainda consegue introduzir partes extras da série de forma muito bem elaborada, que com certeza vai agradar em cheio os fãs do nostálgico seriado. É hora de morfar!

  • Igor Otávio

    Quero deixar aqui meu comentário em relação a este jogo!
    Eu adoro este jogo, ele é muito bom, bem divertido.
    Bem parecido com Streets of Rage mesmo como foi mencionado. Os gráficos são bons! o Áudio é mais ou menos mas faz seu papel.
    Eu tenho o cartucho e e sempre que da vontade ligo o meu Mega drive e jogo no console mesmo. Alias ontem mesmo dia 12/04/17 eu terminei ele mais uma vez. jogo bem casual mesmo.
    A minha única reclamação e isso tem a ver com a postagem aqui feita, é em relação a narrativa. Até mesmo gostaria que fosse corrigido no post, para sim ser mais verdadeiro possível.
    O jogo não segue fielmente a narrativa do Filme. Não sei se quem escreveu assistiu o filme. Eu mesmo assisti na época 3 vezes no cinema.Até a primeira luta com os Mecas do Ivan Ooze, sim segue bem o filme. Mas no estágio 3 em que eles simplesmente começam a relembrar de alguns feitos no passado, e os próximos estágios são referentes a episódios da série para televisão que são referente. Sem referência alguma ao filme.
    Daí do nada volta à narrativa do filme.

    É que eu não poderia deixar de comentar isso. me desculpem.

    • And

      mas tá escrito no texto que acompanha a história do filme E da série: “Mighty Morphin Power Rangers: The Movie” para Mega Drive é um jogo que adapta fielmente a narrativa do filme e ainda consegue introduzir partes extras da série de forma muito bem elaborada”, eu achei que está bem explicado, e realmente a história do filme tá bem sintetizado no jogo, junto com esses estágios que vc citou, que são baseados na série.

      Já versão do SNES, essa sim, apesar de ter na capa do jogo que é baseada nesse longa de 95, tem uma narrativa que não tem nada a ver com o filme – aliás, nem história tem (apesar de ser um ótimo game).

      • Igor Otávio

        O jogo em sí é maravilhoso! Eu recomendo. O ponto que citei é apenas porque fielmente não segue a narrativa do filme com exatidão.
        Mas o jogo é muito bom.