Continuando com a nossa série de “matérias nostálgicas“, hoje vamos relembrar de outro produto lançado pela Tectoy da geração pré-Master System, o ursinho Teddy Ruxpin, que chegou ao mercado brasileiro em novembro de 1988.

Ué, um ursinho de pelúcia, uma escolha estranha para uma empresa que estava apostando em produtos eletrônicos avançados (para a época) como os anteriormente lançados Pistola Zillion (leia mais) e Pense Bem (leia mais).

Mas não estamos falando de um urso de pelúcia qualquer, o nosso amigo Teddy tinha uma particularidade toda especial: ele contava histórias e cantava músicas de acordo com a, hoje jurássica, fita cassete (lembram dela?) que era inserida em suas costas. Enquanto falava, ele mexia os olhos e a boca em sincronia com o áudio, era simplesmente mágico!
mint-teddy-ruxpin

Foi um dos brinquedos mais inovadores que certamente marcou a infância de muitas crianças no final dos anos 80 – quem teve um jamais vai esquecer! Ele era tão genial que acabou ganhando um desenho animado próprio chamado “As Aventuras de Teddy Ruxpin“, que foi transmitido por aqui pela TV Globo, onde Teddy e seus amigos viajavam através de um Barco Balão, junto de seu fiel escudeiro a Centopeia Grubby (que também tinha um boneco falante, que era ligado junto com o Teddy).

O Teddy Ruxpin foi originalmente criado pelo inventor norte-americano Ken Forsse (falecido em 2014 aos 77 anos) e lançado no mercado em 1985, e como é de se imaginar, encantou as crianças dos EUA, sendo um dos brinquedos mais populares no final dos anos 80.

A Tectoy adquiriu os direitos do ursinho falador em 88 e repetiu o sucesso do seu país de origem, com fitas que vinham junto com livrinhos de histórias e aventuras que Teddy lia para a criançada. E uma curiosidade: a voz do Teddy brasileiro foi feita por um jovem Selton Mello, hoje um ator e dublador bem conhecido por aqui.

teddy_ruxpin_novo

O urso vinha com uma fita e um livro com a história “A Aeronave”, mas era possível comprar outras fitas/livros com aventuras diferentes. Nos EUA ele contou com mais de 40 histórias, muitas delas lançadas mas aqui no Brasil pela Tectoy.

Além de encantar as crianças, o Teddy auxiliava na árdua tarefa dos pais de contar histórias criativas para os filhos, tornando-se o companheiro ideal para todas as horas – era praticamente um membro da família!

Uma das propagandas da Tectoy na época era justamente direcionada aos pais e dizia: “Teddy não pretende destruir planetas, nem capturar alienígenas e não se chama o matador. Teddy é um contador de histórias e a única coisa que quer conquistar é a imaginação das crianças“.

teddy_ruxpin_colecao_de_roupas

Teddy e sua coleção de roupas!

Recentemente, a empresa norte-americana Wicked Cool Toys está com um projeto de trazer uma nova versão, o Ruxpin 2.0, de volta ao mercado, mas atualizado com a tecnologia atual, como olhos LCD que podem mostrar mais de 40 tipos de expressões e emoticons como Corações e Estrelas, um HD nas costas que permite armazenar e fazer download de histórias e sensor de toque nas mãos e pés para pausar ou mudar os contos (lançamento previsto apenas para 2017).

Caso seja um colecionador ou apenas um saudosista de uma infância querida dos anos 80, fique esperto no Mercado Livre, pois sempre aparece por lá algum Teddy à venda (os preços são bem variados, dependendo da condição dele) – clique aqui e confira.

Confira abaixo um comercial e algumas imagens do Teddy Ruxpin:

propaganda

uma antiga propaganda de revista da Tec Toy

teddy-ruxpin-cassette-_57

um livro e fita K7 versão americana

teddy_grubby

Teddy e seu companheiro, a centopeia Grubby, que também contava histórias

grubby