Lançado em 1992 e com a assinatura do mestre Yu Suzuki (lendário game designer criador de títulos como OutRun, Virtua Fighter e Shenmue, só para citar alguns), o arcade de “Virtua Racing” foi um dos primeiros games da história a reproduzir, de forma bastante competente e revolucionária, gráficos poligonais sofisticados de objetos e ambientes, além de ser um dos títulos mais influentes de todos os tempos e um dos primeiros a usar monitores widescreen.

Devido à complexidade do jogo original de 32 Bits, uma versão doméstica parecia inviável, até que em 1994 a Sega lançou uma conversão para o Mega Drive com um processador auxiliar chamado Sega Virtua Processor (SVP), semelhante ao que a Nintendo havia feito com o jogo “Star Fox” um ano antes.

E não foi uma conversão qualquer não, a versão caseira apresenta um padrão de qualidade inquestionável, que fazia a maioria das pessoas dizerem “uau, eu não sabia que o Mega Drive era capaz de fazer isso!“.

versão arcade com gabine dupla

O chip foi incorporado ao cartucho o que permitiu ao console da Sega a capacidade de processar jogos poligonais mais complexos. E apesar de apresentar menos polígonos, cores e uma resolução menor, toda a essência, o design artístico e as qualidades que tornaram “Virtua Racing” um sucesso nos arcades, como a alta velocidade e a jogabilidade, estavam lá na versão cartucho.

Graças ao poderoso processador do Mega Drive, o jogo impressiona pela sua altíssima velocidade, sem slowdowns e um bom frame rate, ajudando ainda mais na imersão das corridas – lembrando que processar o visual poligonal em um 16 Bits não era uma tarefa fácil.

Porém, apesar de bem recebido pela crítica e público, o chip aumentou absurdamente o preço do cartucho (em seu lançamento era vendido por US$ 100), e por causa disso nenhum outro jogo utilizou o SVP.

arcade vs mega drive

O jogo original apresenta três pistas, cada uma com um nível de dificuldade diferente: Beginner para “Big Forest“; Medium para “Bay Bridge” e Expert para “Acropolis“. Cada pista têm a sua marca registrada, como o parque de diversões na Big Forest, uma grande ponte vermelha em Bay Bridge e as ruínas de construções em Acropolis.

Além disso, o jogo também introduz o sistema de câmeras, que através de quatro botões, pode-se alternar a visão do carro (uma aérea, acima, atrás e finalmente de dentro do carro). A visão do cockpit, como sempre, era a mais realista, porém extremamente difícil de se jogar.

A versão para Mega Drive apresenta as mesmas três pistas, além do sistema de câmeras diferentes. Como única novidade, temos uma opção de Replay, para assistir o seu desempenho da corrida, com câmeras posicionadas pelas pistas – o que era bastante impressionante para a época, lembrando que o replay exige bastante do processador/chip para guardar as informações na memória para depois reproduzi-las em ângulos diferentes – lembrem-se, estamos falando de um sistema 16 Bits aqui, e replays a à la Gran Turismo eram novidades nos consoles caseiros da época.

Outra característica que o Mega Drive herdou do seu irmão arcade foi o estilo Time Attack, onde o jogador tem um determinado tempo para passar por check points, e claro, terminar a corrida em primeiro lugar (são 16 oponentes), completando no total cinco voltas (em cada pista).

O cartucho ainda possibilita uma corrida com dois jogadores com a tela dividida, mas sem os outros competidores na pista – lembrando, novamente, um grande feito para o chip SVP, em processar gráficos poligonais diferentes em uma tela dividida e em alta velocidade!

Além de impressionar na parte técnica, com gráficos poligonais 3D renderizados em tempo real e com a movimentação ágil (comandos rápidos e simples), “Virtua Racing” também impressionava pela altíssima velocidade em que o game rodava, como nunca vista antes em um jogo de corrida para 16 bits.

O título apareceu também no acessório 32X, que turbinava o Mega Drive. Em 1995 foi lançado para o Sega Saturn pela Time Warner Interactive (com uma qualidade deixando a desejar) e na coletânea Sega Ages para o PlayStation 2 (versão muito boa), em 2004. Todas essas versões apresentavam extras como pistas, músicas e carros adicionais.

Virtua Racing” foi um jogo revolucionário, tanto nos arcades como no Mega Drive. Um dos primeiros games a usar a tecnologia 3D poligonal de forma competente, com excelentes gráficos e fator de diversão alto, além de contar com quatro câmeras diferentes, outra novidade. A versão cartucho também revolucionava o universo dos 16 Bits, mostrando um jogo de corrida como nunca havia sido mostrado antes num console caseiro, mantendo a incrível sensação de velocidade, o visual impressionante e o fator diversão garantidos. Pra os fãs de jogos de corrida, um título imperdível!

  • Iochi10

    Esse jogo realmente foi bem surpreendente para a epoca em que foi lançado!!!