Com inspirações na Guerra do Golfo (1990-1991), Desert Strike: Return to the Gulf leva o jogador a um mundo de muita ação, estratégia e tiros para todos os lados – e uma excelente opção para quem está mais tempo em casa no momento!

Criado por Mike Posehn, um engenheiro e criador de software independente. o game foi lançado em diversas plataformas, mas com certeza em nenhum console fez tanto sucesso e teve tanto impacto como as incríveis versões para o Mega Drive, onde os três primeiros títulos foram lançados com um imenso sucesso.

Desert Strike chegou ao Megão em 1992 pela hoje gigante Eletronic Arts, que naquela época galgava os passos para o mundo dos games e era um dos principais estúdios que davam suporte à Sega e aos seus consoles (principalmente com os games de esporte e corrida).

No controle de um helicóptero Apache AH-64, você precisa seguir à risca as missões que são dadas pela Central de Comando para conseguir passar adiante. A visão isométrica do título ajuda bastante a se ter a melhor visualização possível do espaço aéreo e de possíveis inimigos se aproximando quando se está em uma missão.

Entre resgatar soldados amigos, capturar inimigos, destruir bases, o piloto precisará também manter o controle de combustível, munição e armadura do helicóptero.

saia da fragata para cumprir as missões

O mundo precisa de você!

O General Kilbaba, um novo líder terrorista surge no comando do Oriente Médio e dispõe de um arsenal pesado e instalações fortificadas – e como todo ditador megalomaníaco, planeja explodir tudo e começar a Terceira Guerra Mundial.

Para evitar que a situação piore, o presidente dos Estados Unidos (que na época era o George Bush pai) decide enviar um piloto (identidade nunca revelada e com a ajuda de um copiloto) em um AH-64 Apache.

Esta bela máquina de guerra voadora é equipada com mísseis, metralhadoras e radares, e teve um papel importante na Guerra do Golfo, especialmente em combate contra os tanques iraquianos e na destruição de estações de radares inimigos. Assim, sob ordens diretas do presidente, a sua missão é: destruí-lo. Simples não? Nem tanto…

o ditador General Kilbaba

Assuma o comando!

O jogador irá passar por quatro fases num total de 27 missões. No início de cada estágio nosso piloto receberá do comandante um resumo da situação no local e quais são os seus objetivos e missões que deverá bravamente cumprir.

Para a época em que foi lançado, Desert Strike tinha gráficos maravilhosos com sua visão isométrica em terceira pessoa. O seu helicóptero, as centenas de inimigos, a fragata, as construções, os cenários, e tudo mais é muito bonito, bem feito e super detalhado com cores fortes e vibrantes, com telas claras e cristalinas. Os cenários são bem feitos, basta olhar para as dunas ou para os terrenos áridos.

Além disso, Desert Strike conta com algumas cutscenes durante e entre as fases, dando um toque especial. Essas cutscenes são bem bacanas e ajudam a dar base na história. A tela de abertura do game já impressiona com a figura do Apache voando, então pode esperar belas cenas animadas no decorrer do game.

siga as missões na ordem para ser bem sucedido!

Apesar de as quatro fases serem no deserto, elas não são repetitivas. As cores do deserto ficam diferentes, há outras construções, instalações e até vilarejos civis pelo caminho. Você encontrará vários tipos de inimigos, como tanques, lança–mísseis, helicópteros, veículos de guerra e até soldados correndo pelo deserto armados com metralhadoras ou bazucas.

O game não possui trilha sonora, justamente para dar mais destaque para os efeitos sonoros que são perfeitos. É possível ouvir os “vupt-vupt” do seu Apache, o som dos mísseis voando pelo ar, metralhadoras atingindo inimigos ou construções e as diversas explosões. As poucas músicas que possui, entretanto, são muito boas, como a da tela título.

fábricas e instalações químicas e de armas do inimigo para você destruir

Este jogo não seria tão bom se a sua jogabilidade não fosse perfeita, o que felizmente acontece. Você tem uma movimentação suave e precisa do seu Apache, apesar da visão isométrica poder confundir alguns jogadores, mas com um pouco de treino e tempo é possível se acostumar sem grandes problemas.

Você ainda pode escolher um copiloto, que será responsável pela mira de seus armamentos. Os melhores são aqueles que estão desaparecidos no deserto, assim que encontrá-los, pode colocar dentro do Apache, assim você poderá acertar inimigos de uma distância maior e mais segura.

acabe com as bases inimigas

E falando em pilotos perdidos no deserto, em algumas missões você terá que salvar soldados, civis e prisioneiros de guerra, então fique atento nos homenzinhos andando pelas dunas, pois além de valerem pontos extras, você ganha pontos de energia (acredite, você vai precisar) ao levá-los para a sua base.

Você pode usar três tipos diferentes de armas, que são a metralhadora, o míssil Hydra e o poderoso míssil Hellfire. Todas as suas armas são limitadas, então não saia explodindo tudo que nem louco porque depois a casa vai cair pra você.

Seu Apache conta com uma proteção de 600 pontos de energia. Cada inimigo tira quantidades diferentes da sua energia e se você bater em prédios ou outras construções também irá perder pontos, então pilote bem a sua máquina.

Sua metranca tem um poder de dano de apenas 3 pontos, a Hydra 25 e o Hellfire 100 pontos. Cada uma dessas armas é muito útil em determinados inimigos, então se acostume a usar bem as três. Por exemplo, os tanques possuem um total de energia de 100 pontos. Isso significa que você pode detoná-los com quatro Hydras ou apenas com um tiro certeiro do seu Hellfire.

Mas não são apenas em inimigos que você vai descarregar seu armamento. Dependendo das missões, você terá que destruir coisas como prédios, vilas, caminhões, aeroportos, jeeps, navios e muitos outros alvos inusitados.

E é essa estratégia que faz o game ficar legal. Além das missões, você tem que se preocupar com o combustível, armamentos e os pontos de energia. Todos os três podem ser encontrados pelas fases, alguns fáceis de achar, outros escondidos – terá situações em que você vai ter que largar das missões pra “caçar” um dos três itens.

Para ajudá-lo você pode usar um radar. Acostume-se com ele, será meu melhor amigo durante todo o jogo. Ele dará informações importantes, como a localização e informações de ALGUNS inimigos, informações sobre as missões que devem ser cumpridas, localização de combustível e armamentos e assim por diante.

Conclusão

Desert Strike é um JOGAÇO que merece estar na lista de qualquer gamer que se preze. Foi um jogo inovador para a época, bastante criativo e inteligente e totalmente viciante.

O sucesso foi tanto que o game teve ainda duas sequências, ainda melhores e mais elaboradas que o primeiro e de grande sucesso também. Da tela de abertura à decolagem do seu Apache da fragata nas águas azuis e cintilantes do oceano para as áridas areias escaldantes do deserto, nascia um clássico.

Um clássico que merecia um remake de respeito para os consoles atuais. O último game da série lançado foi Nuclear Strike, para o N64 em 1999 (a mesma versão que saiu para Playstation em 1997).

Ação e estratégia sem igual que irão garantir a sua diversão por horas e horas.