Top Gun para os videogames!

Em 1986 havia um certo filme chamado Top Gun (conhecem?) que foi um enorme sucesso de bilheteria nos EUA! Vendo isto, a SEGA resolveu capitalizar a popularidade dele lançando dois títulos os quais permitiam ao jogador controlar um F-14 Tomcat. Estes jogos eram After Burner e After Burner II. A sua ação veloz, visuais de cair o queixo para aquela época e uma trilha sonora baseada no mais puro rock chamou a atenção de muitos jogadores, fazendo After Burner tornar-se um verdadeiro hit nos arcades. Por conta disto, ports do segundo jogo saíram para vários sistemas nos anos de 1988 e 1989, mas somente com o port da versão do Mega Drive, que saiu em 1990, é que pudemos ver o verdadeiro poder do jogo numa versão caseira.

História? Tem sim senhor!

General Zorbia e suas forças militares do país fictício de Halvary invadiram a sua nação. Agora eles estão se preparando para o ataque final utilizando a Rede de Comunicações NESW em seus planos malignos. Mas para que eles possam manter contato com a RCN, as forças de Halvary precisam utilizar duas estações de microondas que estão em seu país. Se elas forem destruídas, as forças de Halvary ficarão incapacitadas de se comunicarem e o seu país terá uma pequena chance para contra-atacar. Você é o piloto de um caça “Skycat” F-14xx no porta-aviões Sega Enterprise e sua missão é simples, destruir as duas torres!

E o Jogo?

O título é o melhor que se aproxima, levando em consideração a época do seu lançamento, com a versão original de arcade, mas ainda assim não poderíamos requerer que o Mega Drive mostrasse todos os efeitos visuais da X-Board, placa na qual o jogo foi concebido.

Mesmo com a limitação do hardware e seus modestos 4Mb de memória ROM, o título consegue fazer o possível para se aproximar da versão original. A superfície dos cenários não é repleta de rochas, arbustos e prédios, além de ter sido bem simplificada. Ainda assim, ela consegue dar a devida sensação de velocidade, da mesma forma que temos uma boa sensação de profundidade por causa das trilhas de fumaça que os mísseis apresentam na tela.

As naves inimigas que vem em nossa direção foram bem trabalhadas para dar a escala necessária de aproximação, criando um efeito de zoom que o Mega Drive não poderia produzir, como muitos defendiam por aí. Os gráficos, de maneira geral, tem um bom nível de detalhes e que chamam a devida atenção do jogador na hora do combate.

Explosões, muitas explosões!

Chegando no quesito som, podemos dizer que o Mega Drive se destaca bem. A trilha sonora é de ótima qualidade, com os instrumentos se aproximando da versão original dos arcades. Os efeitos sonoros são basicamente os mesmos nas duas versões. Assim sendo, aqueles que jogaram o título original não terão do que reclamar do port neste aspecto.


Desvia, desvia, desvia!

Na sua jogabilidade não há muito do que se queixar. Simples e direta, assim como no arcade. O caça é equipado com metralhadoras para acabar com os inimigos de perto e misseis teleguiados para atingi-los à distância. Você pode acelerar o caça para alcançar velocidades supersônicas, assim como deixá-lo um pouco mais lento. É possível também executar acrobacias aéreas para desviar dos mísseis inimigos.


E no geral?

Aqueles que estão acostumados com a versão do arcade sabem que ela tem uma qualidade gráfica e jogabilidade que dificilmente poderiam ser postos num console caseiro até a chegada do Sega Saturn, mas ainda assim a versão do Mega Drive esbanja competência com o seu hardware limitado se comparado com a  X-Board, que era superior à System 16.

Assim como muitos outros jogos que foram portados diretamente de máquinas da SEGA, After Burner II mostrou do que o Mega Drive era capaz de acordo com aquilo que ele foi projetado para oferecer originalmente: trazer a experiência de arcades para o lar dos consumidores.

Se você é amante de jogos rápidos, de caças e de Top Gun, este título é essencial para se ter em sua coleção.

Curiosidades

  • O After Burner original em consoles caseiros saiu apenas para o Sega Master System;
  • Além do Mega Drive, sistemas como Famicom e Sharp X68000 receberam os seus ports, assim como o PC Engine;
  • A Tengen pegou o port de After Burner II feito pela Sunsoft para o Famicom e modificou-o pesadamente criando uma versão não oficial de After Burner para o NES;
  • Você pode jogar After Burner II no Sega Ages: Volume 1 que saiu para o Sega Saturn.