Aproveitando o grande sucesso que o primeiro filme do Robocop, lançado em 1987, fazia na época, a Sega resolveu lançar a sua própria versão de um “policial-robô” e assim nascia nos arcades em 1989 “Cyber Police ESWAT“.

Em 1990 a empresa lançou uma versão do game para o Mega Drive, e para tal o reformulou totalmente, mudando cenários, designs artísticos e trilha sonora. O resultado final é um jogo totalmente diferente – melhor e mais interessante do que o original, adotando um design mais sombrio e futurístico do que o colorido e contemporâneo do arcade. Enquanto no Japão ele manteve o mesmo nome, no ocidente sofreu uma pequena mudança para “ESWAT: City Under Siege“.

ESWAT no arcade

O jogador controla um policial de elite da tropa ESWAT (acrônimo em inglês para Enhanced Special Weapons and Tactics) na fictícia cidade de Liberty City, onde uma organização criminosa conhecida como E.Y.E está espalhando o caos e o terror por toda a parte. Sua missão é simples: acabar com os criminosos e seu líder utilizando uma poderosa armadura chamada Ice Combat e garantir que a paz volte a reinar na cidade.

Mas não pense que poderá usar a armadura já no início. Antes é preciso provar ser merecedor dela e ganhar algumas promoções, passando as duas primeiras fases apenas como um policial normal. Apenas na terceira área em diante é que seu personagem será equipado com a armadura de combate!

E quais vantagens ela traz? Várias, meu caro fã do Mega Drive! Agora seu policial pode usar até cinco armas diferentes, todas muitas úteis contra determinados tipos de inimigos e chefões e que podem ser trocadas a qualquer momento – só cuidado para não morrer com a arma selecionada, pois ao reiniciar a fase ela é perdida, podendo ser aquela essencial para progredir. Outra vantagem é a opção de se voar, temporariamente enquanto durar a barra de Burner, o que traz novos tipos de desafios e mecânicas.

É claro que, ao avançar no jogo, os inimigos ficam mais fortes e inteligentes, e mesmo com o poder de fogo extra da armadura, o desafio é bem elevado. Além disso, os cenários possuem designs criativos, com ação tanto na horizontal e vertical (diferente do arcade, que era mais linear) – e que aproveitam bem a opção de voo do personagem.

Algo importante é manter o seu rank no status ESWAT, que pode ser conferido no início de cada fase, caso contrário sua armadura poderá usar apenas o tiro básico, sendo que as outras quatro ficam inacessíveis – o que pode dificultar imensamente as coisas, especialmente em estágios mais avançados!

Curiosidade: O carro de polícia que aparece no primeiro “Streets of Rage” é o mesmo do final de “ESWAT”, sugerindo que o universo dos dois games poderia ser o mesmo. Bacana, não é?

já vi esse carro em outro jogo…

ESWAT: City under Siege” foi um dos títulos de primeira geração do Mega Drive e é um bom exemplo de como a Sega pega seus títulos de arcades e os transportava, com qualidade ainda melhor, para o seu 16 Bits caseiro, rendendo muitas horas de desafio e diversão!

  • Humberto Moura

    Sugiro uma matéria com o jogo Gargoyles. Mais ainda, talvez uma entrevista com o programador deste cartucho, o Crhis Shrigley (http://shrigley.com/about-me/), uma pessoa de ótimo astral (conversei com ele para pedir dicas de programação), tendo criado 3 jogos para Mega Drive (Gargoyles, Ex-Mutants e Cliffhanger). Abraços.