P: Antes de mais nada, por favor se apresente para o pessoal.
R: Meu nome é Heriberto, trabalho na Tectoy há 25 anos. Comecei como engenheiro, passei para coordenação e agora estou como gerente de engenharia.

P: Qual é o seu papel no novo Mega Drive?
R: O desenvolvimento do hardware e do software.

P: Este Mega Drive rodará os jogos da mesma forma que o console original ou será algo próximo? Uns noventa ou noventa-cinco porcento?
R: É algo irrealizável hoje em dia [rodar igual], no entanto estamos buscando o máximo em compatibilidade de hardware e software.

Anúncio do primeiro Mega Drive da Tectoy
Anúncio do primeiro Mega Drive da Tectoy

P: Você poderia explicar mais sobre a ausência do HDMI no novo Mega Drive?
R: Vivemos algo parecido no passado, quando todos os televisores só tinham entrada de RF e a Sega lançou o Saturno, que só tinha saída de áudio e vídeo. Tivemos que vender uma caixinha, um modulador RF, porque as pessoas pediram. Naquela época a gente tinha um sinal melhor que era o vídeo composto e tivemos que baixar a qualidade para RF. Agora estamos enfrentando uma situação parecida. Nós temos o vídeo composto, que não tem um sinal com qualidade tão boa quanto HDMI. Até agora, estamos vendendo de 20 mil a 50 mil Master Systems por ano sem HDMI e estes Masters estão convivendo com TVs de LCD há muito tempo e ainda não tivemos nenhuma crise de “não conexão”.

P: Fale um pouco sobre os jogos que virão inclusos com o novo Mega Drive e a entrada para cartão.
R: Trata-se de nossos jogos licenciados. Sobre o cartão, primeiramente queremos é que as pessoas usem cartuchos.

P: A Tectoy planeja relançar cartucho de algum jogo para utilizar neste Mega?
R: Estamos batalhando para isso, não tecnicamente, mas no que diz respeito às licenças.

P: A Sega tem de autorizar, assim como quem criou os jogos?
R: A Sega é uma grande parceira. O problema é achar o dono do jogo, que é algo tão antigo.

cartuchos_mega_drive
Cartuchos lançados nos anos 80-90 pela Tectoy

P: Há jogos que a empresa que fez nem existe mais, correto?
R: Não existe. De repente tem uma pessoa responsável para cuidar deste assunto, que a papelada ficou na gaveta de alguém, foi para o lixo, ninguém sabe. Essa que é a grande luta das licenças.

P: Qual a maior dificuldade que você está encontrando na criação do novo Mega?
R: A equipe reduzida.

P: Mudando um pouco de assunto, existem dois jogos nos quais você esteve envolvido que me chamaram muito a atenção. O primeiro foi o Street Fighter II de Master. Como foi fazer este jogo?
R: Eu era o coordenador de software na época. O projetista deste jogo foi o Maurício Guerta. Eu falo sem medo de errar, trabalhando com o pessoal de hardware e software, estou para ver um “coder” mais brilhante do que ele.

Na verdade, como foi que nasceu isso, foi até curioso. Há muito tempo a gente estava ensaiando ter esse cartucho pro Master e a Sega não queria fazer, dizendo que era impossível, mas eu acredito é que eles não tinham cronograma para fazer. A Tectoy insistiu e aí resolvemos pegar as artes do jogo de Mega, abrindo o binário, arrancando com emuladores, reduzir pro tamanho de Master e movimentar elas, gerando um protótipo de movimento. Eles (a Sega) continuaram com a mesma posição. Aí pensamos “Quer saber? Já fizemos todo o trabalho da arte, vamos fazer o jogo.” E aí tocamos o barco.

street-fighter-ii
Street Fighter II lançado para Master System pela Tectoy

P: Quanto tempo levou para criar o Street Fighter II de Master?
R: Esse foi até bem rápido. Diria que foram 4 a 5 meses, sem contar o trabalho de redução, que levou de 1 a 2 meses.

P: O segundo jogo é o Duke Nukem do Mega Drive. Como foi o processo de desenvolvimento?
R: Foi assustador. Aliás, existe uma informação que corre por aí que ele é baseado na engine do labirinto do Phantasy Star. Isto foi uma confusão tremenda que se fez aqui dentro. Não foi isso. Esse projeto também foi encabeçado pelo Maurício. Ele estudou técnicas de renderização 3D numa época que ninguém tinha internet, durante muito tempo. Quando surgiu a oportunidade, ele se sentiu preparado para fazer a engine do jogo. Quando explicamos para o pessoal de marketing e comercial, nosso plano A era fazer uma engine baseada numa técnica chamada Raycast. Isso dependia de um processamento muito poderoso e teríamos de usar muito código. Se isso não desse certo, no pior dos casos, como plano B, a gente faria tipo um labirinto do Phantasy Star, só que nele você só olha zero graus, noventa graus, você só tem quatro graus. Então o Duke Nukem foi baseado na técnica Raycast e tivemos que enxugar muito código ali, viu.

P: E quanto tempo levou para desenvolver o jogo?
R: 14 meses.

Ayrton Senna Super Monaco GP II lançado pela Tectoy
Ayrton Senna’s Super Monaco GP II lançado pela Tectoy

P: Há alguma coisa ou curiosidade a respeito dos seus 25 anos de empresa que você gostaria de compartilhar? Algo que ninguém saiba mas que você pode falar?
R: Acho que é mais um desabafo por exemplo mais da parte da minha profissão como desenvolvedor de hardware e software. A Tectoy, pelo que vejo por aí, é uma das poucas empresas que sempre apoiou a gente. Hoje em dia, existe uma tendência de terceirizar tudo. Qualquer coisa tem de ser desenvolvida em outros países, trazida da China, provocando uma carência muito forte de pessoal técnico no nosso país. Eu vi frases de gente que disse que o Brasil hoje é um país tecnológico. Não é. Somos usuários. Sabemos arrastar o dedo em cima de uma tela de celular, mas não sabemos fazer um celular.

  • Marcio Ferreira Do Santos

    Bela entrevista e ótimas curiosidades reveladas parabens.

  • leandrovallina

    Uns dos motivos de eu ter feito a encomenda do novo Mega Drive foi exatamente pelo espírito solidário ao gamer brasileiro da Tec Toy.

  • Atila Haber

    Eu até gostaria de me animar por imaginar que a placa de circuito no “novo” mega drive é maior que um pendrive, mas provavelmente essa placa da imagem é apenas uma placa de desenvolvimento não sendo o modelo final. Já dei meu voto de confiança a TecToy e comprei meu “novo” Mega Drive com 5 minutos de pré-venda e agora aguardo ansioso por novas informações oficiais. TecToy confio em você não me decepcione.

    • Moreno Rocha

      Atila, já tá rodando pelo Youtube um vídeo de ‘open console’ do novo Mega. O próprio técnico faz elogios à nova placa do Mega e explica por alto sua organização. Não é do tamanho de um pendrive. Estou aguardando o meu 🙂

      • Atila Haber

        Já recebi o meu mega, comprei na pré-venda e estou contente, mas faltou o poster. Me contate mais sobre o open console, tem algum link para indicar?

  • João de Paula

    Um tapa na cara desse devs de conteudo de ”publicidade” que se acham os fodões donos do mundo!

  • Impossível uma explicação mais tosca do que essa sobre a ausência do HDMI.

    • trakinao

      Apesar de respeitar muito o Sr. Heriberto, é impossível não concordar com seu comentário!

    • Alan Martins Bastos

      Cara, usar hdmi só aumentaria o custo de produção, pois a resolução de saída seria a mesma 240p, o que mudaria somente seria a conexão. Não é viável colocar um upscaler embutido no Mega, pelo motivo citado acima, além de que o público que mais se interessará pelo console, serão os saudosistas, e há de imaginar que esses gamers já possuam uma tv de tubo ou um upscaler.

      • A resolução seria a mesma mas resolução e qualidade da imagem não são sinônimos. Aumentar o custo de produção na verdade é um eufemismo para diminuir a fatia que a empresa quer levar em cima da nostalgia. Aliás, que saudosistas são esses que têm TV de tubo mas usam entrada de cartão SD?

    • Nilmar Oliveira

      Não tem motivo para ter HDMI, o Mega Drive original roda com uma resolução baixa, ou seja não ia ter ganho nenhum na imagem e todas as TVs ainda possuem entrada de áudio e vídeo, você vai ter a mesma qualidade.
      O HDMI só encareceria o aparelho

      • Não é bem assim. O scaling do vídeo composto feito nativamente pelas TVs de hoje é péssimo, terrível, grotesco, a imagem fica toda borrada, emporcalhada mesmo, ainda que o aspecto esteja ajustado para 4:3.

        O Mega Drive original suportava RGB nativamente e, por meio de um cabo SCART que usava a porta de oito pinos do console, era possível ter uma imagem extremamente nítida, ou até mesmo com acessórios como esses adaptadores no estilo do AV2HDMI de hoje em dia.

        Ocorre que sequer foi explicado se esse Mega Drive tem RGB nativo, e embora concorde que a conversão encareceria o aparelho, um AV2HDMI custa 11 dólares e a Tectoy é ótima em sourcing de componentes.

        Definitivamente não tem a mesma qualidade como você sugere. Veja por si mesmo: https://m.youtube.com/watch?v=tT9OnPjQKWY

        Diante disso, mantenho que foi, sim, uma explicação tosca.

        PS: Se alegarem que o console é destinado a puristas, então a entrada de SD e os jogos na memória não fazem nenhum sentido. Seria melhor vender um Everdrive com a marca da Tectoy à parte para manter a fidelidade do novo console comparado ao original.

        • Madson

          É mas não adianta nada ter a imagem limpinha no mega. Isso aí tinha que ter um filtro NTSC pra dar suporte as transparências e dithering. Pra NES e SNES blz. Mas pro mega não. Ah e por falar nisso no NES classic tem um filtro NTSC, desnecessário mas tá lá. Aí sim vale ter um HDMI.

          • Benjamin Breeg

            O NES é um emulador oficial. O Mega da Tectoy é um console analógico!

          • Madson

            Em momento algum eu disse que o NES era baseado no hardware original. E
            advinha, o mega não é um console analógico, aliás, nenhum é, todos os consoles têm processamento digital. Só a saída de vídeo dele que é
            analógica. E eu não apoiei a ideia de ter uma saida HDMI. Mas se tivesse teria que vir com algum filtro (nada que não possa ser feito por um CI específico).

          • Benjamin Breeg

            Conversando e aprendendo !!! Valeu pela informação! Jurava que o Mega era analógico!

        • Benjamin Breeg

          Esse conversor de 11 dólares não presta. Eu comprei e ficou muito ruim a qualidade. Consegui uma boa imagem com um conversor intermediário que custou 55$. Em conversão simplória no dólar a 3,20, seria acrescido no valor final do Mega + 175,00 reais. Claro que a Tectoy poderia conseguir bom desconto comprando em massa, mas mesmo assim o aparelho chegaria aos 500 reais facilmente. Imagine só, hoje valendo 399 a galera já faz um escândalo, você imagine isso chegando nos 500 contos!

    • Em tempo, não quero desmerecer o trabalho de ninguém, só acho que deveria haver mais transparência, já que as escolhas que a Tectoy fez foram no mínimo controversas.

      Acrescento também que já tenho um Mega Drive “asiático” e não teria problema algum em adquirir esse novo Mega Drive, afinal tenho comprado produtos da Tectoy que nem preciso apenas por carinho pela empresa. No entanto, a execução do projeto está destoando um bocado da proposta original.

      • Benjamin Breeg

        Hahahahaha cara comprei uma babá eletrônica da Tectoy uns dois meses atrás para ficar de olho na minha filha, e comprei com o mesmo pensamento que você, por carinho pela empresa! E ainda pensei “vou dar uma força ai pra essa guerreira”. Porque cá entre nós, empresa nativa do Brasil, produzindo tecnologia é uma coisa muito, mas muito rara mesmo!

    • Guest

      Sorry to reply you here (about the post below) but ICXM is a fanboy run site. Anything that goes against a certain company gets you banned.

      “It’s funny that you mention “always” as that’s not what the “cool” kids have been saying for quite some time. Perhaps you mean “from now on”?
      It used to be games first… Then Kutaragi started to pull numbers out of his ass by claiming the PS3 could produce 120 fps (that was a good one) and that it was a supercomputer thanks to CELL™ or whatever.
      After that Yoshida found it was really necessary push the 1080p agenda and now you can see where this whole “power thing” came from.”

      But here goes. Maybe I’m not a “cool kid” but right from the start PS4 have had the edge when it comes to number and diversity of exclusives, “better” performance for 3rd party games was always just a bonus. At least for me. Whatever Sony or MS want to market is upto them…

      With the scorpio, the XB might have better performance but it won’t get me to play all the exclusives that I can’t play on scorpio.
      My PC is already more powerful than a PS4 or XB1. Personally graphics isn’t vital, if it was or if it is, I would just get a 1070 and it would be more than the 6 teraflops of the Scorpio.

      • Sorry to hear that you’ve been banned, perhaps a bit of rewording could’ve avoided that.

        Didn’t mean to say you don’t care about games, as you said that yourself. What I meant is Sony was trying to make the performance thing look more important than what it really is. Yoshida’s statements reflect that. And every single fanboy swallowed their claims, no questions asked.

        It always felt like it was “it’s more powerful, so it’s better, plus it has some nice games”, even friends I spoke to specifically pointed out the performance as the main factor that made then move away from the Xbox 360 and get a PS4. And if we don’t watch Digital Foundry videos, we won’t really notice the difference. That’s my point.

        The Xbox One is far from perfect. It’s a Microsoft product and it runs on Windows, so it’s a bit prone to crashing (didn’t have great experiences with Sony products either, so it’s a tie there). Its first iteration is also huge (maybe they were afraid of 3RL-related issues) and the Kinect requirement at the beginning was very silly (to the point that Sony backtracked on bundling the PlayStation Camera immediately).

        That’s the part I was trying to be a bit objective and point out the fanboys’ sentiment (and quite frequently the media’s too) during this console generation. So here comes personal feelings and opinions.

        I don’t care much for FPSes (or even TPSes for that matter), but I do care about racing games, and in my opinion the last great Gran Turismo was 4, so I stuck with Forza. I mainly play multiplats though (EA Access is great, by the way), not a big fan of Japanese games in general but I do love Shenmue, so that’s the only thing that could really make me buy a PS4. It’s coming to the PC, too, I’ll probably stick to that. Which console has the better exclusives is very relative to one’s personal tastes (and that’s a good thing).

        However, it was quite the mistake from Sony to stick to their basic DualShock design from 1994 just to “stick to tradition” as they put it. On the other hand, Xbox controllers started very clumsy but improved quickly over the years. One thing they got right from the start was to position the analog stick where it is. The dual analog sticks really were an afterthought when everybody realized D-pads weren’t great for 3D games and it’s disappointing Sony didn’t amend that.

        TL;DR: Exclusives are relative, I like multiplats and some Xbox exclusives, I prefer its controller and backwards compatibility and power doesn’t matter that much.

        By the way I may have sounded too cynical at first but that’s just me. Thanks for taking the time to reply, though.

  • Elias Figueiroa

    Bela entrevista

  • Claudio Lima

    A minha pergunta é sobre o jogo Street fighter 2 citado la em cima,onde HERIBERTO diz que a SEGA não quis fazer o jogo, então eles mesmo criaram. Ja que foram eles que criou o jogo, por quê a logo marca da SEGA esta estampada na capa do cartucho STREET FIGHTER?

    • trakinao

      Eu suponho que seja pelo fato de eles terem usado como base a versão de MEGA. Não daria pra colocar apenas TECTOY ali. Sem contar que todos os jogos do master/mega tem o logo da sega, seja quem quer que tenha criado.

      • Claudio Lima

        Pode ser tbm. Mais queria que eles dessem uma resposta mais específica.

    • Moreno Rocha

      Provavelmente porque, depois que viram o trabalho finalizado, a Sega acabou liberando o lançamento. Eles só não iriam investir tempo e dinheiro numa iP como essa para o Máster System.

  • Júnior Mena

    Gosto muito da TecToy e respeito muito o trabalho do Sr. Heriberto. Sinceramente, não existe explicação que possa convencer o consumidor sobre a ausência do HDMI…. Tenho certeza de que os fans do Sega Gênesis e jogadores retrô como eu comprariam o aparelho mesmo que ele ficasse um pouco mais caro! Acredito que a TecToy ainda tem tempo de voltar atrás e lançar o aparelho com entrada HDMI…. Se o relançamento vier sem a entrada digital…. tenho minhas dúvidas de que a empresa alcançará seus objetivos satisfatoriamente. Assim como também tenho minhas dúvidas sobre a satisfação de todos nós consumidores. Sendo assim, ficarei triste e não verei motivos de possuir esse aparelho, uma vez que seria mais interessante comprar um Mega convencional com todas as entradas tradicionais (Sega cd e 32x) e que roda 100% dos jogos já lançados! Seria lamentável perder inclusive a oportunidade de, quem sabe, a TecToy dar continuidade aos projetos da Sega que foram descontinuados e com a tecnologia que temos hoje, poderíamos desfrutar de Jogos inéditos para o aparelho. Temos grandes talentos que trabalham no desenvolvimento de jogos…Estou ciente de que as coisas não são tão simples assim, uma vez que teríamos que ter o aval da gigante SEGA….Mas…. não custa sonhar, visto que o nosso clamor ”Foi Ouvido” de certa forma! Por enquanto a proposta do novo Mega está incompleta ao meu ver….Por tanto…. vou esperar um pouco, pois, acredito que a respectiva empresa está tendo todo o FEEDBACK IDEALIZADOR de todos os amantes da SEGA e TECTOY. Isso é tão verdade que a notícia do relançamento do aclamado Sega Gênesis aqui no Brasil foi destaque na mídia internacional (O QUE NÃO É POUCA COISA SE CONSIDERARMOS QUE ESTAMOS FALANDO DE UM CONSOLE DE 4 GERAÇÃO)….Ainda da tempo TECTOY!!!! Essa é a minha humilde opinião. Abs…

    • Benjamin Breeg

      Jovem, por que essa obsessão pela saída HDMI? A proposta do console não é ser retrô? Eu já comprei o meu na pré-venda e não estou me importando em nada com a falta do HDMI, sabe porque? Por que não faz falta!

      Quando eu jogava meu Mega na infância não tinha HDMI e não tem porque ter agora.

      E digo mais, eu tenho uma TV de tubao que uso para jogar meus consoles antigos que está aguardando o “novo” Megadrive chegar, e está dando uma banana para a saída HDMI.

      A tectoy foi a única que teve coragem e ainda tem de fazer produtos no Brasil e ainda lançaram o Mega sem emulação. Para de reclamar de barriga cheia, se quer tanto o HDMI não compre.

      • Júnior Mena

        Bem! como eu disse no final…. essa foi a minha humilde opinião!!! Ponto pacífico.

        • Benjamin Breeg

          E você acha que falar isso te torna imune a uma contestação? Ledo engano meu caro.

          Você disse que não existe explicação para ausência do HDMI, e razões existem e já foram explicadas a exaustão. Mas quem se importa com razão neste caso? Estamos falando e lidando com um dos mais nobres sentimentos, a saudade combinada com nostalgia, não é um lançamento racional e nem tem essa pretensão.

          Acho que não viveu a época de assoprar fitas, talvez por isso não entenda, que certas coisas não devem ser modernizadas.

          Sabe quando você vai entender isso? Quando você envelhecer um pouco mais. Abraços

          • Júnior Mena

            Falar que foi minha humilde opinião fez vc me perguntar se acho que isso me torna imune a uma contestação??? (no caso aqui, a sua contestação a minha opinião) Bem…vamos lá. Primeiro: eu não sou o único que tem a mesma opinião. Da mesma forma que vc também não é o único a ter a sua…. Segundo: vc acha mesmo que eu estou preocupado em estar imune a qualquer tipo de contestação a minha opinião??? Sério? Digo e repito… ”Pra mim”, não existe explicação cabível para ausência do HDMI. As razões foram sim ditas e explicadas, porém, não foram convincentes…Mas, ”quem se importa com razão neste caso”??? Vc diz que estamos lidando com um dos mais nobres sentimentos, saudade combinada com nostalgia….Claro que sim!!! Isso é evidente e óbvio…mais um motivo pra querer um produto de qualidade!!! Por tanto, não me disse nenhuma novidade!!! Terceiro: vc acha que eu não vivi a época de assoprar fitas e que talvez não entenda que certas coisas não devem ser modernizadas. Sério mesmo??? Talvez esteja pensando que está falando com um ”adulto” que não tem tanta idade assim né? E por último: vc afirma que eu só vou entender isso quando envelhecer um pouco mais…Bem… sobre isso não te culpo por pensar assim… afinal de contas, não nos conhecemos e por tanto, somos pessoas com opiniões diferentes!!! Minha conclusão sobre tudo isso é a seguinte: parabéns por ter a sua opinião diferente da minha. Isso ajuda e muito a Tectoy a conhecer melhor seus consumidores e teremos como consequência disso tudo, todo o esforço da empresa a nos proporcionar um produto de qualidade! Abraços

          • Benjamin Breeg

            Cara do segundo parágrafo pra baixo eu não entendi nada do que você disse!

          • Alexandre Souza

            Entao, eu tenho 42, e to nessa de colecionismo desde os tempos de atari a 5 reais na feirinha. E sinto falta da porta HDMI. E ai? 🙂

          • Benjamin Breeg

            Sinta falta não cara! Liga o ps4 na HDMI e seja feliz!

          • Elias

            Vai jogar no emulador e deixa de mimimi.

      • Marcelo Eiras

        O original tinha saída RGB nativamente e ainda tem um mod de rgb bypass. Este “novo” mega drive não tem nada disso. É um retrocesso

        • Benjamin Breeg

          Mas quanta choradeira por causa de uma saída! Coitada da Tectoy nas mãos desses criticos de teclado! Retrocesso! Hahahaha

          • Marcelo Eiras

            Qual foi a parte de que não vai ter saída RGB que o original tinha que você não entendeu ?

          • Benjamin Breeg

            Mas que falta fará cara? Tenho uma TV de tubão para jogar meus consoles do Wii pra baixo, e ela é bem velha já, lembro que juntei dinheiro para comprá-la quando era criança e ela já tinha entrada AV, coisa que só fui usar no N64 uns anos depois.

            Uma coisa é ser saudosista (o que o console é de fato) outra é utilizar tecnologias que não são necessárias ou se quer existem fornecedores de peças para tanto, ou você acha que alguém seguiu fabricando componentes de 20 anos atrás obsoletos?

            Eu insisto que essa choradeira é desnecessária, Tectoy fez o melhor que conseguiu mantendo ainda Slot de cartuchos e ainda com a possibilidade cada vez mais real de lançar novos cartuchos, pois eles já estão sondando os consumidores na página do FB.

            HDMI deixaria o console mais caro, pois eu espero que você saiba que não é só soldar uma saída HDMI na placa mãe e voualá, temos uma mágica acontecendo, tem que instalar um conversor que não é barato (e o que vende barato é uma porcaria sem tamanho, digo isso porque tenho do barato e do intermediário).

            Se com 400 reais a galera já faz o maior MIMIMI, imagine se fosse pra cima de 500 o preço?

            Sabe o que eu acho? Você e toda essa galera que fica caçando pelo em ovo, não quer comprar o console, não vai comprar, gosta mesmo é de reclamar.

            Ta vendo? Fiz textão, e eu não queria, veja só o que você me fez fazer!

          • Marcelo Eiras

            A tectoy está fazendo um serviço porco. Colocando uma porcaria chinesa ou equivalente dentro do case original e chamando na cara de pau de edição comemorativa.
            Como pode um console comemorativo ter vídeo pior que o original? Saída vídeo composto é o que existe de pior em sinal analógico, perdendo apenas para rf.
            Tirando o chip de vídeo todos os componentes do mega drive são fabricados e encontrados com facilidade.
            Saída RGB abre uma ampla possibilidade. Desde ligação direta dos sinais direto num monitor ou TV com a melhor qualidade possível até a ligação num upscaler externo a gosto do freguês.
            Existem pessoas como o Victor Trucco relançando ou modificando micros e consoles com saída RGB e hdmi com produção semi artesanal e com preços competitivos, por que a tec toy não pode?

          • Benjamin Breeg

            Você está é com raivinha da empresa e vai saber porque motivo! Não importa o que dizem você sempre vai pra tecla do produto chinês Bla Bla Bla. …

          • Marcelo Eiras

            Então compre e seja feliz. Eu prefiro dar valor ao meu dinheiro e comprar um mega drive de verdade usado.

            Minha insatisfação é a mesma de muitas pessoas de fóruns nacionais e internacionais que ao ler o FAQ viram que viria mais uma bomba por aí, mas se você infantilmente prefere acreditar que é “raivinha” o problema é seu.

            Na verdade sinto saudade da antiga tectoy que tinha inovação como o master system supercompact que ela criou e só existiu aqui, na localização dos jogos e de modskins licenciados como Mônica no castelo do dragão (Wonder Boy in Monster Land) e fico triste em ver que ela se transformou numa mera importadora de tralhas chinesas e está no vermelho a vários anos em situação pré falimentar.

          • Benjamin Breeg

            Cara… Agora eu estou vendo você de uma maneira diferente. Provoquei você propositalmente dizendo que estava com “raivinha ” justamente para saber se você ia continuar argumentando com educação ou se já ia perder a linha.

            Finalmente entendo e respeito seu ponto. Mas veja, num país onde não há interesse algum pelo empreendedor e empresário, só o fato da tectoy ainda existir e estar tentando lançar um vídeo game aos moldes (na medida do possível ) de um clássico, é sim uma atitude repeitavel. Afinal não estamos falando de uma Sony ou Microsoft, estamos falando da última empresa do Brasil que ainda se arrisca a fabricar consoles.

            Agora eu espero que você também entenda a situação da empresa.

            Dou valor ao meu dinheiro e compro com ele o que me faz feliz, afinal somente o dono do dinheiro pode quantificar o quanto ele vale para si.

            E não vou comprar o novo Mega, eu já comprei na pré venda, agora é esperar quase 1 ano pra receber.

            Até chegar, continuo jogando no meu Megadrive clássico que ganhei do meu falecido avô ainda criança.

          • Marcelo Eiras

            A situação da empresa está ruim porque ela num delírio patético e inexplicável resolveu investir num console natimorto e horrível que foi o Zeeboo, console este que até coisas que crescem no meu umbigo sabiam que não teria a menor chance de sucesso.

            Mas qual é a solução da Tectoy? Lançar um edição comemorativa com qualidade e compatível para vender para amantes do console tanto no Brasil como no exterior ou apenas mais um genesis on a chip como o mega drive que ela vendia a algum tempo atras, com uma entrada sd de baixa qualidade tudo disfarçado no molde original para enganar incautos ?

            Saida HDMI é fácil basta procurar por “HDMI Made Easy: HDMI-to-VGA and VGA-to-HDMI Converters” no google. Não encareceria proibitivamente o produto e todos ficavam felizes e não sentiriam enganados quando descobrirem que compraram gato por lebre, ou seja um xing ling numa pele de mega drive original.

            Ou seja foram pelo caminho mais fácil e mais porco…

            Infelizmente tirando raras exceções A indústria brasileira não é capaz de fazer nada que não seja fácil de copiar ou de colar etiqueta em cima…

            E sim, existem aqui pessoas capazes de fazer coisas excepcionais, entretanto a indústria não quer pagar a essas pessoas nem perto do valor que o trabalho delas vale, ou valeria e nem tem coragem de fazer.

            Veja o projeto do Trucco e do Belavenuto, algo que começou no quarto e vai ser lançado como produto oficial, fabricado e lançado na Inglaterra pela dona da marca ZX Spectrum, Sinclair e Amstrad.

            Nele o HDMI não será mais gerado via RaspberryPI e sim via FPGA direto.

            Tectoy não coloca HDMI porque é porca e não quer gastar nesse projeto, quer apenas enganar os saudosistas com um xing ling fantasiado num gabinete bonito.

            Pra fazer do jeito “certo” teria que pagar.Pagar desenvolvedor pra acertar a emulação porca dos mega drives chineses, pagar para ter direito a usar o padrão HDMI (licenciamento), enfim. Fazer direito custa.

            A verdade é uma não só acreditem que a TecToy de hoje é a mesma empresa do fim dos anos 80 e início dos 90. Hoje ela não passa de uma importadora e etiquetadora de produtos chineses de qualidade duvidosa e não tem o menor interesse de mudar este status.

          • Benjamin Breeg

            Cara… Quanto absurdo… Você parece um torcedor na arquibancada achando que é fácil o trabalho do técnico… Fui.

        • Elias

          O RGB faz falta. Se tivesse, os mimimizentos poderiam usar um conversor RGB-> Video componente e tudo estaria certo. Aposto que é barbada tirar o sinal lá de dentro (mexendo no código).

      • Elias

        Mega drive e consoles antigos foram feitos para TVs de tubo e pronto. Esse mimimi por HDMI é coisa de pivete. Quer jogos antigos em HD? Joga no emulador.

        • Rodrigo Zimmermann

          Nenhum jogo antigo será em HD, mesmo com HDMI.

    • Ronny Marsh

      Nem todo MEGA com compatibilidade com Sega Cd e 32x rodam necessariamente 100% dos jogos.
      Existem alguns jogos que exploram bugs do hardware que não rodam em revisões posteriores do MEGA. Por exemplo, tem uma revisão do Genesis 2 americano (Mega III brasileiro) que não roda Virtua Racing, enquanto algumas revisões do Genesis 3 (Super Mega III brasileiro) roda.. ahsuhaushaus

      Quanto a questão do HDMI eu vou repetir o que falei em outro comentário:
      Falta de HDMI é até uma coerência pro objeto. Os Jogos de Mega Drive não
      foram produzidos para serem exibidos em alta resolução (quanto ao som,
      nem se fala, já que nossa constituição física não nos permite escutar
      toda essa alta definição de som).
      Uma das particulariedade do MD é a
      sua capacidade limitada de vídeo, sendo possível exibir apenas 64 cores
      simultaneamente na tela. Para poder exibir mais cores do que o possível
      as produtoras dos jogos passaram a produzir por acidente usando a
      mistura de cores que dá um efeito natural de “blur” na saída de vídeo
      composto e na tela das TVs tubo.
      MD ficaria extremamente feio se
      exibido meramente em HD. Olhe pelo exemplo da Nintendo com o NES mini que apesar de ter
      saída HDMI usa um filtro que borra a imagem pra simular saída de vídeo
      composto e a tela das TVs antigas.
      Como a ideia é produzir o mais fidedignamente o console original, então isso não é um erro.

  • Alisson Cesar da Silva

    Valeu tectoy! Muito bom conhecer sobre quem trabalha no projeto. Gostaria que se possível vocês mostrassem o novo mega funcionando, rodando algum jogo tipo um review ou uma apresentação com o produto que venderam…

  • Entrevista interessante… Conta uns detalhes da história da Tectoy nos tempos áureos do Mega Drive e Master System no Brasil, não apenas publicando jogos da Sega colocando-os em embalagens traduzidas, mas arregaçando as mangas e mexendo no software para buscar fazer diferença na experiência dos gamers brasileiros. Muita gente espera que este espírito retorne, porque existe mercado, basta saber entender onde está o público e como trabalhar com ele para gerar rentabilidade.

  • ppmbruno

    Galera, boa entrevista mas o responsável pelo texto precisar dar aquele “tapa” né? Não digo editar as informações, mas faze-lo mais agradável a leitura! Não adianta só transcrever a entrevista…

    P: Qual a maior dificuldade que você está encontrando na criação do novo Mega?
    R: A equipe reduzida.

    “OK, mas Sr. Martinez, como era a equipe no tempo áureo e como ela funciona hoje?”

    A último pergunta até fiquei com pena… kkk

    Coisas como
    “O senhor acredita que as novas tecnologias de software e hardware hoje, ajudam no desenvolvimento?”

    De resto, estão mandando vê! Todo dia acesso aqui para ver as novidades 😉

    ps.: Que puta zona a mesa do Sr. Martinez eim!? kkk

  • André Luiz Reis

    Ótima matéria. Gostaria de ver mais iguais a essa. Nós poderíamos acompanhar o desenvolvimento e a construção do novo Mega drive. Ia ser bem interessante.

  • Excelente entrevista, Torço muito para a Tectoy continuar no ramo e fazer mais hardwares como esse Mega Drive, quem sabe um dia veremos o Master System com entrada de cartucho também ?

    • Benjamin Breeg

      Rapaz eu não sei não. Se o Mega Drive novo der uma grana boa pra Tectoy, é capaz de vir na onda além de novos cartuchos, o velho Master System também ! E já pensou se da um Bug geral na Tectoy e os caras trazem de volta o Dream Cast também? Ok viajei longe demais agora!

      • Ronny Marsh

        Seria massa se ela fizesse mesmo era um novo Mega CDX, um novo Saturn e um novo Dreamcast…. 🙂

    • Rodrigo Zimmermann

      Seria bom se a TecToy lançasse um vídeo game que rodasse Mega Drive (mesmo que emulado) e tivesse novas tecnologias para distribuição de jogos digital, o cara cria uma conta e acessa do videogame e então compra novos jogos em formato digital.

  • Claudio Lima

    Decepcionante, uma empresa como a SEGA dizer que um tipo de jogo não têm como ser criado. Ai um engenheiro com sua equipe, com muito esforço e força de vontade mostra a SEGA que nada é impossível. Muito obrigado HERIBERTO e a sua equipe, pelo seus esforços de criar um jogo que com certeza fez parte da nossa infância e por nos deixar gratificados com isso. Pois sei que nao é pra qualquer um,trablhar 14 meses na criação de um só jogo. MEUS PARABÉNS.???

  • Fabbio Jerônimo da Silva

    “Sabemos arrastar o dedo em cima de uma tela de celular, mas não sabemos fazer um celular.” – Mitou.

  • Cloi Polastro

    Eu ainda tenho o meu bom e velho mega drive da década de 90 aqui comigo, raridade de família, vai até pra documentação de herança, hahah. Estou com um hype alto em relação a esse relançamento, inclusive torcendo pra que desenvolvedores voltem a criar coisas nova pra esse console que marcou a infância de muitos, como a minha!

    • Benjamin Breeg

      Hahahahha cara eu não vejo a hora do meu Mega Drive novo chegar, ter aquela sensação maravilhosa de abrir a caixa de novo e finalmente dar um merecido descanso para o meu velho Mega, que irá ficar repousando em um armário com vidro para não pegar pó. Uma boa recompensa após 20 anos de serviços ininterruptos.

  • Alexandre Souza

    Eu gostaria de, respeitosamente, tecer algumas criticas…
    – Pra quem vive no mundo da emulacao, emular mega-drive é algo incrivelmente banal. Ja existe emulacao em FPGA que emula com perfeição o mega drive. Essa de “é impossivel rodar igual”, desculpe, nao cola.
    – Falta de HDMI me remete mais a preguiça e a custo que propriamente blablabla. HDMI é que nem DVD, pra cada equipament vendido com porta HDMI voce tem que pagar uma mixaria de licença pro consorcio HDMI. Mesmo assim, nao justifica um aparelho projetado em 2016 nao ter saida HDMI. Ate os desenvolvedores “indie” como por exemplo o Victor Trucco ja implementaram HDMI em seus projetos – inclusive puxando a porta direto do FPGA. Nao colou.
    – DUVIDO que esse mega drive nao seja um mega-on-a-chip chines. Espero realmente que nao seja, porque nós brasileiros – ao contrario do que esse senhor fala – somos sim capazes de desenvolver coisa muito boa. Vide o Spectrum Next (projeto do Victor Trucco que é tao bom que foi autorizado pela sinclair/amstrad/sky a ser um produto sinclair “oficial”), o TB Blue do Fabio Belavenuto + Victor Trucco que implementa um TK90X e outros computadores, o Multicore do Victor Trucco, o Zemmix do Luis Fernando Luca, O MC1000 do Lisias Toledo e muitos outros espalhados por ai, criações genuinamente nacionais, todas atualizadas e cada dia mais proximas do “Cycle perfect” que é a emulacao perfeita, ciclo por ciclo de maquina. Estamos de olho! 🙂

    • TecToy bem poderia contratar o Trucco, e ficava o assunto resolvido! 😉 (e já agora, Luca e Toledo também, e se calhar tu também! 🙂 )

    • parma

      me parece pelo teor da entrevista que toda a parte de hardware e software está sendo feita aqui pelos engenheiros da tectoy mesmo, não parece ser um treco chinês qualquer!

      • Iuri Fiedoruk

        Do “toda a parte de hardware” pode tirar todos os microprocessadores 🙂
        A integração e design da placa e o firmware sim, os chips, dificilmente. Mas pode encomendar de fora alguém que projete, claro.

    • Ronny Marsh

      Respostas:
      1 – Emulação não é a mesma coisa que rodar o jogo no Hardware original simplesmente pq os jogos em Cartucho foram feitos para rodar em uma determina configuração.
      A nível de exemplo para isso nós temos o caso dos jogos Gargoyles, Virtua Racing e Sonic & Knucles que não rodam nas últimas revisões do Mega Drive III (e Super MD III) pois eles exploram alguns bugs do hardare antigo que foram corrigidos nas últimas versões.

      2 – Falta de HDMI é até uma coerência pro objeto. Os Jogos de Mega Drive não foram produzidos para serem exibidos em alta resolução (quanto ao som, nem se fala, já que nossa constituição física não nos permite escutar toda essa alta definição de som).
      Uma das particulariedade do MD é a sua capacidade limitada de vídeo, sendo possível exibir apenas 64 cores simultaneamente na tela. Para poder exibir mais cores do que o possível as produtoras dos jogos passaram a produzir por acidente usando a mistura de cores que dá um efeito natural de “blur” na saída de vídeo composto e na tela das TVs tubo.
      MD ficaria extremamente feio se exibido meramente em HD. Olhe pelo exemplo da Nintendo que apesar de ter saída HDMI usa um filtro que borra a imagem pra simular o vídeo composto e a tela das TVs antigas.
      Como a ideia é produzir o mais fidedignamente o console original, então isso não é um erro.

      3 – Vc entendeu mal o que o Sr. Heriberto falou. realmente nós aqui no Brasil não produzimos nada de significante. A maior parte da “produção” nessa industria é meramente o processo de montagem, e nós pouco produzimos componentes eletrônicos e de informática, e importamos quase tudo da China. E o que ele diz é que a TecToy é ainda uma das poucas empresas do setor que ainda produz hardware no país. O que dá a entender é que o processor é, pelo menos, majoritariamente produzido no Brasil. Clones de MD há de muitos na China e vc pode encontrar em sites como o Aliexpress por menos de US$ 25,00, com slot pra cartucho e tudo. Não seria nada demasiadamente custoso para a Tectoy exporta esses aparelhos e vendê-los aqui por R$200,00 aproximadamente.

      • Rodrigo Zimmermann

        Falou tudo!
        Clones do Mega Drive tem de monte na China, a TecToy poderia importá-los e vender no Brasil, mas resolveu fazer o correto: fabricar o próprio produto. Muitos componentes provavelmente serão chineses, num mundo semi-globalizado (ainda não vivemos num mundo realmente globalizado) é a única opção.

    • Rodrigo Zimmermann

      O Mega Drive é um console originalmente com saída analógica, colocar hardware que transforme essa saída analógica em digital vai encarecer o produto e não vai trazer nada de imagem melhor (pelo contrário, na conversão pode piorar a imagem).
      O novo aparelho não será um “emulador”, mas um hardware que se aproximará do original (considere que muita coisa do passado já não é mais fabricada ou está acessível a um custo proibitivo).
      Você cita tais equipamentos de hardware como projetos originais, mas não são, nem o novo mega drive é. São hardware baseados em produtos antigos, que já deveríamos ter dominado tal tecnologia a muitos anos e lançando clones baratos…. mas infelizmente as universidades do nosso país só ensinam a arrastar o dedo na tela de um celular, não ensina a criar o celular.

  • nos dias de hoje (sem falarmos da nostalgia) o melhor que há em relação a megadrive e mastersystem é a facilidade com que desenvolvemos jogos para elas, ferramentas de desenvolvimento como cross-compilers, conversores e editores são muito melhores que o que havia nos anos 80 e 90, e com isto tem surgido muito homebrew (os dos Mojón Twins são excelentes, e até eu mesmo tenho arranhado qualquer coisa para master system – e até é muito provável que o sr. Heriberto conheça isso tudo! 🙂 ) – mas há sempre aquela ideia que fica na cabeça: que tal se a TecToy promovesse, junto com o lançamento destas tão deliciosas consolas retro, concursos de desenvolvimento (a nível mundial), oficinas (que poderiam acontecer nas faculdades, escolas secundárias, bibliotecas públicas, encontros retro (que já há vários pelo Brasil e pelo mundo afora), etc.) – uma coisa é a TecToy lançar um produto, e a outra é a TecToy ser elogiada no mundo inteiro por criar e manter iniciativas deste genero – acho que é um assunto que vale a pensar e discutir

  • MOlliverJaxnOficial

    Acho engraçado esse esse povo reclamar da porta HDMI e ainda bater no peito que é colecionador… Venho acompanhando há tempos a história do relançamento e sempre pediam que fosse fiel ao original, agora que irão fazer de forma fiel, reclamam da tal saída… Parem de chorar e comprem um conversor HDMI que é barato e vendido em quase todas as lojas de eletrônicos,simples assim. Ao invés de agradecerem à Tectoy pelo relançamento só reclamam. O ser humano nunca se contenta com nada,fala sério… Sou muito grato à Tectoy pelo relançamento,ainda nem estou com o game em mãos e já me rendeu muitas memórias.

    • O que pediram foi um relançamento fiel ao original, não esse negócio que não é nem lá nem cá. Até onde sei o original não tinha entrada para cartão, ou melhoravam tudo ou deixavam igual ao que era antes, mas começaram e pararam no meio do caminho, pelo visto. E nossa, realmente temos que agradecer, a Tectoy está fazendo praticamente um favor…

      • MOlliverJaxnOficial

        Sim, ela está fazendo o favor de facilitar aos que não tem condições de comprar cartuchos antigos, já que até então não há previsão de relançamento de cartuchos. Outra, já foi explicado milhares de vezes que não há como fazer exatamente igual já que não há mais fabricação dos mesmos componentes usados na época… Mas pra ti é simples, DogmaPyramid, não tá satisfeito com o relançamento, não compre, mas tbm não reclame. Busque comprar o original da época (que estará mais caro e sairá mais caro com as compras e importação de cartuchos), ou já que é tão bom técnico, seja voluntário na Tectoy e faça um projeto melhor, ou ainda, junte fundos (há diversas redes na internet pra isso), abra uma empresa e faça um console igual ou melhor que o da época, simples assim. Ah, não se esqueça de negociar e comprar os direitos autorais hein! Boa sorte.

        • Sua resposta não faz muito sentido, mas vamos lá, por partes:

          1. Quem não tem condições de comprar cartucho não compra reedição clássica de console, compra aquelas aberrações com trocentos jogos na memória que a Tectoy já vinha fazendo há tempos (tenho um Master System Evolution, aliás, simplesmente porque gosto da Tectoy, mas não que eu ache que seja um bom produto).

          2. Releia o meu comentário. Eu disse “fiel ao original”, não igual. Seria muita ingenuidade achar que conseguiriam colocar todas as peças idênticas, especialmente se considerarmos que algumas delas eram personalizadas exclusivamente para o Mega Drive pela Sega em conjunto com a Yamaha.

          3. Legal… Então quer dizer que se eu não vou comprar, não posso reclamar. E desculpe, eu já tenho o original da época, mas realmente compraria esse se a Tectoy tivesse tomado as decisões certas. Afinal, quem compra um Master System Evolution sem precisar, em tese compra qualquer coisa. E ainda vem com aquela velha historinha sem lógica alguma do “se você não gostou, faça melhor”, típica de recreio na época do ginásio. Se fosse assim, não existiriam revistas ou sites especializados em games (ou em carros, eletrônicos, celulares, comida, viagens ou qualquer produto ou serviço), porque ou só teriam comentários positivos sobre tudo o que fosse lançado, ou os jornalistas teriam que se tornar empreendedores um por um para ganharem o direito de criticar. Tem que ser criticado, sim, porque críticas levam as empresas a criarem produtos melhores. ?

          • MOlliverJaxnOficial

            Kkkkkkkkkkkk, só rindo de tí mesmo cara. Vc chorando por uma entrada hdmi e eu sou o cara do recreio??? Ok então… Ah, só pra constar, eu, por exemplo, não tenho tantas condições para comprar cartuchos caros, mas isso não significa que eu não vou comprar este relançamento, na real, já garanti o meu. Mas como vc é o “pica das galáxias” com o seu mega original (que deve ter entrada RF), deveria ao menos se contentar em ter um upgrade com o novo console (que virá com entrada RGB), além de ser uma boa oportunidade para se ter um console novo em folha… Além do mais, vc já disse que “quem compra um Master System Evolution sem precisar, em tese compra qualquer coisa”, então compra logo ou não compra e não reclama, simples assim. Críticas construtivas são sempre bem vindas em qqr circunstância, mas ficar chorando por aí reclamando de tudo não é nada construtivo (além de não me parecer algo muito adulto, já que, segundo vc, eu sou o infantil do ginásio não é???)… #semmais

          • Eis que entro no meu Disqus depois de dois meses e reparo que tem essa aberração em forma de texto me esperando aqui… Bom, apenas para constar então.

            O moral da história, pelo visto, é “críticas construtivas são sempre bem-vindas, desde que sejam o que eu quero ouvir!”

            Quem será que está chorando, afinal? Eu que apontei pontos válidos que a Tectoy poderia ter melhorado e a falha lógica no seu argumento, ou você que vomitou um texto sem pontos finais e parágrafos?

            E já que falou em “pica das galáxias”, por que não aproveita e vai chupar a do engenheiro aí da entrevista? Fanboy se dói demais mesmo, pelo amor!

          • MOlliverJaxnOficial

            Ah sim, desculpe por ter digitado pelo celular e não ter colocado parágrafos (agora tbm é professor, que ótimo currículo não…), mas se reparar bem, há sim pontos finais (tente um teste de visão).

            ->parágrafo | Já garanti o meu, já vi sites gringos elogiando o console, e estou satisfeito com o relançamento e ponto.

            ->parágrafo | Enfim, tenho mais o que fazer do que ficar discutindo. Feliz ano novo pra ti tbm, seja feliz…
            #semmaisparte2 #obrigado #denada

          • Vai imitar os gritinhos do Michael Jackson que você ganha mais. Passar bem.

    • Benjamin Breeg

      Galera gosta de reclamar cara! Eu nunca vi tanta choradeira por causa de uma saída! E pior, eu acho que quem fica choramingando não vai comprar o console!!!! Garotada da emulação detectada!

    • Marcelo Eiras

      Mas ele não é nem um pouco fiel ou original, não tem saída RGB nem componentes discretos. Incompativel com praticamente todos os acessórios. É apenas um Xing ling com carcaça do original e uma entrada sd.

      • MOlliverJaxnOficial

        Impossível ser fiel ou igual ao original, como já foi explicado em vários outros sites, além do site da própria Tectoy… Basta pesquisar um pouquinho que vc entenderá o pq de não ser 100% fiel ao original…

        • Marcelo Eiras

          Nada foi explicado, o que foi dito foram desculpas esfarrapadas e opiniões de quem não entendem do assunto. O que tem no mega drive? As cpus zilog Z-80 e motorola 68000 se acha fácil em qualquer ali express da vida, o chip de som o Yamaha YM2612 idem, slot de cartucho idem. O único chip que é custom da sega, ou seja não se acha em qualquer prateleira de loja de eletrônica é o chip de vídeo que a tectoy poderia mandar fazer na china já que ela tem licença da sega, ou na pior da hipóteses simular este chip com FPGA usando VHDL.

          Ou seja este mega drive, como a FAQ deixa claro, nada mais é que um genesis on a chip que vendem por troco de pinga na China dentro de um gabinete de mega drive original para enganar incautos, simples assim.

  • Marcelo Eiras

    O final da entrevista não faz sentido, há anos que a tectoy nada mais faz que trazer produtos da China de qualidade duvidosa, e colar etiqueta em cima.

    • Moreno Rocha

      Provavelmente isso foi uma “alfinetada” até mesmo na Tectoy e demais empresas. Além do mais, que não há lá muito incentivo (fiscal, tecnológico) pra se produzir algo aqui. Acho compreensível e até triste a resposta dele.

      • Rodrigo Zimmermann

        O maior problema para a produção de hardware no Brasil não é fiscal, mas sim tecnológico… enquanto nossas universidades só ensinarem apenas usar tecnologia importada, criá-las em nosso país será extremamente difícil.

  • Ricardo

    Deveriam seguir o exemplo da Nintendo com o Nes classic mini , a desculpa para não colocarem HDMI é ridícula e típico do jeitinho brasileiro , se pensassem realmente no melhor para o consumidor , mas aqui os empresários só pensam no lucro , então vão deixar de gastar ( ou melhor , vão lucrar 30 a mais ) uns r$ 30 a mais por aparelho e o consumidor que se vire com a ultrapassada conexão vídeo composto …

    • parma

      seguir o exemplo da Nintendo – fazer um emulador com uma quantidade de jogos fixos na memória, sem possibilidade de adicionar novos… e ainda enviar poucas unidades às lojas deixando impossível de se encontrar. é isso “respeito ao consumidor”?

      • Benjamin Breeg

        Seguir o exemplo da Nintendo e deixar de vender seus produtos oficialmente no Brasil? Ricardo, a Nintendo mandou uma banana do Donkey Kong para o Brasil.

  • parma

    Parabéns Tectoy pela matéria, bem interessante!! é o tipo de informação que a gente tem curiosidade e gosta de ver!

    Tenho meus Master e Mega aqui comigo há mais de 20 anos e nunca deram qualquer tipo de defeito, por isso fico feliz que pessoas da Tectoy daquela época como o sr. Heriberto ainda estejam na empresa e trabalhando no projeto do novo Mega. Estou confiando que eles sabem o que é preciso para deixar esse lançamento tão especial quanto merece!

    Lembro que a maioria reclamava da possibilidade de um Mega Drive emulado, que queriam hardware original, ou pelo menos o mais fiel possível. Mas seria realmente muito bom que o HDMI fosse incluído ao lado da AV, não somente pela questão de compatibilidade com TVs novas, mas também por uma imagem um pouco mais nítida. Também com HDMI mais gente do exterior iria se interessar pelo console. Até mesmo se fosse embutindo um daqueles conversores chineses AV2HDMI já valia a pena…

    Bom trabalho Heriberto e equipe, esperamos ver em breve o console funcionando!!

  • Carlos Emanuel

    Ótima entrevista! Os comentários, mesmo os contrários, são na sua maioria, consrutivos. A mim parece, que há uma grande diferença entre um projeto pessoal, que o autor tem muito mais liberdade de ousar, pelo simples fato de não haver nenhuma consequência, e um projeto corporativo, de uma empresa que opera no vermelho, e ainda assim está sendo pioneira. Parece haver muitos entraves legais, tecnológicos e, obviamente, financeiros. No mundo não há, nenhum projeto parecido com esse, nem mesmo o da Nintendo. O que não dá carta branca, nem credibilidade irrestrita para a Tectoy. Esse projeto só será possível, pelos fãs e colecionadores. Todas as explicações, me parecem plausíveis até agora. A falta de compatibilidade com acessórios que quase ninguém possui, e vamos ser sinceros, a maioria foi um fracasso. A falta da sáida HDMI, que muitos que entendem do assunto, divergem, quanto ao real ganho que traria, para um projeto que pretende alcançar um valor na casa dos R$400,00. E até a inclusão da entrada SD, que pra mim como fã e colecionador, me deixa mais incomodado, se faz entender, pela falta de oferta de cartuchos no mercado, e também, pelos preços exorbitantes que alcaçam alguns deles no mercado de usados. A mim, só resta, fazer um encarecido apelo ao pessoal do desenvolvimento, para que entregue, ainda que analógico, a melhor qualidade possível de áudio e vídeo. Pois, parece, de antemão, que haverá uma defasagem em relação ao aparelho lançado a quase trinta anos atrás. Como por exemplo, a falta da saída S-Video, e a possibilidade de alcançar a qualidade RGB. Já dei meu voto de confiança na pré-venda, agora só resta torcer!

  • Antonio

    Tenho respeito tremendo pela Tec Toy e pelo Sr Heriberto nesta nova empreitada e espero genuinamente que dê certo. Mas gostaria de uma explicação melhor para a questão do HDMI também… ele praticamente não respondeu a pergunta e acabou comparando a uma situação do passado em que a Tec Toy oferecia uma conexão melhor (??), e não inferior como é o caso de agora. Pessoalmente, nem lamento a falta do HDMI pela qualidade, mas sim pela conveniência (já que essa é a entrada mais comum das TVs hoje e qualquer casa tem um cabo desse).

  • Marcelo Eiras

    A pergunta que não quer calar: O que faz um gerente de engenharia numa empresa que só importa porcarias chinesas e cola a etiqueta em cima ?

  • Jean Oliveira

    Cara, não conhecia o Blog, por um capricho do destino acabei aqui e ainda me deparo com uma entrevista destas, nossaaaa muito bom!!!!! Já garanti o meu Mega Drive na pré-venda que está rolando, mas andava muito preocupado com o fato de todos estarem reclamando pela maldita falta de HDMI, e este fato acabar prejudicando a Tec Toy, que como o colega leandrovallina comentou abaixo, também tenho muito carinho pela empresa devido á ser a única que realmente respeita o gamer brasileiro, além de ser a única que desenvolve tecnologia deste ramo no país. Realmente gostaria que o projeto desse certo, e a empresa alavancasse e quem sabe né, talvez no futuro até competir com as gigantes globais dos games, mas os hatters brasileiros (claro que cada um deles com o seu PS4 e Xbox One em suas casas) parecem não querer assim…….. Mas o Sr. Henriberto Martinez renovou minhas esperanças com a informação do Master System, sobre o mesmo não ter HDMI e ainda assim conviver com números de vendas bem saudáveis, no mesmo mercado do Playstation e do Xbox. ISSO MESMO TEC TOY VAMOS LÁ!!!!!

  • Anderson Sabino

    Meu imenso respeito a você Heriberto Martinez, você é meu heroi!

  • William Magalhães

    Eu gostei muito da entrevista, mas queria tecer alguns comentários: a) quem compra atualmente os Master System da Tectoy são pais que vão presentear seus filhos pequenos com um video game, nem os pais nem as crianças entendem (por regra) de video games, e por isso não reclamam da qualidade da imagem do video composto nas tv’s modernas; b) este novo Mega Drive, em princípio, está sendo produzido para um público totalmente diferente, os retrogamers que possuíram (ou ainda possuem) um mega original, com isso em mente, peço aos engenheiros da tectoy que liguem um Mega numa tv de tubo e depois numa full hd, pra ver a diferença aberrante na qualidade da imagem. Se o alvo da proposta fossem as crianças de hoje, tudo bem, mas estes vão continuar comprando os Master System. Como o alvo é o público retro (adulto) pode ter certeza que a qualidade da imagem vai ser motivo de reclamação e de rejeição ao console. Ponham ao menso um video componente, por favor!

  • Ronny Marsh

    Muito bom saber que a Tectoy resiste ao fenômeno natural do mercado de exportar simplesmente tudo do exterior. O Brasil tem capacidade de produzir Hardware e se mostrar competitivo no cenário internacional. Uma grande prova disso é a visibilidade que a Tectoy está tendo nesse momento, com hype que não diz respeito só ao nosso país mas com muita gente ansiosa espalhada pelo globo… Sorte e Parabéns para a equipe e todos da Tectoy… 🙂

    P.S.: uma curiosidade…. Desde que a Tectoy anunciou o “novo” Mega Drive eu vi uma grande parte da galera criticando o produto principalmente por este não ter saída HDMI nativa, e só ter vídeo composto RCA. E ainda mais, fazem comparação com o NES Classic Edition por este trazer a saída HDMI.
    O mais estranho é que esse pessoal não se toca que apesar do NES classic ter saída pra vídeo em alta definição ele possui um filtro que simula a saída de vídeo composto e a tela das TVs antigas… kkkkkkk
    Coerência fail :p

  • Marco Aurélio

    Entrevista show de bola, Heriberto falou tudo, infelizmente aqui no Brasil ainda somos usuários de tecnologia, e não desenvolvedores. É uma pena, pois temos muita gente que se interessa pelo assunto, mas temos muito pouco cursos especializados, e poucas empresas que “bancam” os que se aventuram na área, sendo a grande maioria terceirizada. Parabéns a Tectoy por fazer parte deste seleto grupo das que ainda acreditam no Brasil.

  • Fernando Dantas

    Sou um aficionado por games tenho vários consoles, quem é fã é fã, tenho modelos originais antigos da época, guardo todos com carinho pois nos finais de semana são minha diversão para esquecer o trabalho e ficar mais próximos dos meus filhos que curtem muito, comprei meu master system assim que foi lançado, agora comprei o mega drive que mesmo aguardando ansiosamente mesmo sem HDI todo trabalho da TECTOY é valido. Estamos vivendo uma época que nos mesmos criamos, muitos compraram vídeo games de outras empresas e com isso nos mesmos deixamos as empresas com problemas, com a Sony trazendo o Playstation e com isso dando problemas as empresas Brasileiras. O nosso belíssimo governo que não ajuda em nada as empresas brasileiras que só sabe cobrar impostos ajuda muito as empresas brasileiras a acabarem pois só cobram e cobram e pra sobreviver em nosso pais é difícil, por isso as empresas de fora tem produtos melhores pois so pagam o justo de impostos. Acredito a Tectoy que fez uma parte de minha infância por isso sou comprador assíduo dos produtos, vou ser sempre cliente para manter viva esta empresa maravilhosa que tanto me fez feliz na minha infância. Mesmo com todas as dificuldades que enfrentamos neste pais que só dá valor a empresas do resto do mudo sucateando nossas empresas.
    Avante Tectoy.