Tag

Master System

Browsing

Mestre das Conversões: os 5 jogos de Mega Drive que fizeram bonito no Master System

Durante toda a sua vida ativa, e além, o Master System recebeu inúmeros games que fizeram dele um dos consoles mais queridos pelo público brasileiro. Entre vários títulos exclusivos, o console também recebeu várias conversões de jogos que fizeram sucesso antes no seu irmão mais novo e poderoso de 16 Bits. Alguns tentavam ser o mais fiel possível, enquanto outros buscavam inovar e apresentar novidades e elementos exclusivos para o nosso querido 8 Bits. Claro que, com capacidades bem inferiores ao do Mega Drive, os desenvolvedores além de competentes, tinham que ser criativos para entregar um jogo de qualidade e não apenas uma “versão preguiçosa para ganhar uns trocados”. Felizmente o Master System contou com várias adaptações de qualidade, sendo que selecionamos cinco para a apreciação/recordação dos nossos leitores. Aproveitem e comentem sobre as lembranças destes, ou de outros games que não estão nesta lista, na seção de comentários! Sonic…

WarpZone e Tectoy anunciam livro de luxo do Master System e Game Gear no Catarse

O pessoal da WarpZone em parceria com a Tectoy, que em 2017 lançaram o livro Mega Drive Definitivo, estão anunciando no site de financiamento coletivo Catarse um novo projeto chamado Definitivo Master System & Game Gear. “O livro Definitivo Master System & Game Gear é uma publicação de luxo que homenageia dois dos maiores consoles que a Sega lançou em sua história. São 240 páginas cheias de informações sobre todos os jogos, a história dos consoles no Brasil e no mundo, lista de itens, histórias inéditas e muitas entrevistas”. A publicação contará com uma capa dura, acabamento de alta qualidade e ainda um estojo com a temática que lembra a caixa do Master System na edição de colecionador (imagem abaixo). O projeto ficará disponível no Catarse até 10 de agosto de 2019, com a entrega prevista para fevereiro de 2020. Importante: Após o término do Catarse o valor do livro…

Conheça as incríveis pinturas de Boris Vallejo e Julie Bell que serviram de capa para jogos clássicos

Você talvez não saiba quem é Boris Vallejo, mas se é fã de games é muito provável que já tenha visto seu incrível trabalho de ilustrador em games clássicos como “Golden Axe II”, “Golden Axe III”, “Ecco the Dolphin” e “Phantasy Star IV”. Nascido em Lima, Peru, em 1941, Vallejo começou a fazer ilustrações aos 13 anos e teve seu primeiro trabalho profissional apenas com 16. Ele frequentou a Escola Nacional de Belas Artes do Peru antes de imigrar para os Estados Unidos em 1964, onde trabalhou com personagens de quadrinhos populares da época como Tarzan, Conan o Bárbaro, Doc Savage e vários outros personagens, em sua maioria com temas de fantasia e ficção científica. Não demorou muito para que o artista ficasse bem conhecido pelo seu estilo surrealista/hiper-realista, com destaque para personagens musculosos e mulheres voluptuosas – em especial bárbaros, mulheres guerreiras, bruxas e monstros. Logo surgiu convite de…

Wonder Boy – O clássico que nasceu porque seu criador não gostou de Super Mario Bros

O clássico “Wonder Boy” está voltando com cara nova na geração atual com os jogos “Monster Boy and the Cursed Kingdom” (que conta com a colaboração do seu criador, Ryuichi Nishizawa), com lançamento previsto para 2017 no PC, PS4 e Xbox One; “Wonder Boy: The Dragn’s Trap” (remake de Wonder Boy III) para PC e consoles e o recém anunciado “Wonder Boy Returns”, um remake para PC e PS4. Uma verdadeira invasão de “Wonder Boys”, e para ir aquecendo os motores para os seus lançamentos, nada melhor do que uma retro-análise do jogo original que fez tudo isso acontecer há 30 anos: “Wonder Boy”, que fez bastante sucesso especialmente no Master System nos anos 80 e 90. O jogo nasceu em 1986 originalmente para os arcades, e segundo o seu criador, ele teve a ideia do game por não gostar da jogabilidade de “Super Mario Bros“, lançado para Nintendinho em 1985.…

Carmen Sandiego – A maior ladra dos videogames no Master System e Mega Drive!

A franquia “Carmen Sandiego” surgiu pela primeira vez em meados dos anos 80 com o jogo para computadores “Where in the World is Carmen Sandiego?”, que também foi lançado para o Master System e Mega Drive pela Tectoy nos anos 90, com textos em português. Desenvolvido originalmente pela Broderbund Software (a mesma dos clássicos Karateka e Prince of Persia), a proposta era criar um jogo educativo e divertido para as crianças aprenderem geografia e as características de vários países. O título agradou público e crítica e durante os anos 80/90 ganhou várias edições diferentes, livros, histórias em quadrinhos, jogos de tabuleiro e uma série de desenho animado, que foi transmitida no Brasil alcançando grande popularidade entre os brasileiros. Inclusive o nome peculiar da personagem foi inspirado na lendária cantora e atriz Carmen Miranda e o sobrenome sendo uma junção do nome da cidade norte-americana “San Diego”.   Carmen Sandiego no…

Prepare a nostalgia e confira entrevista com Luiz Curado, vencedor do campeonato da Supergame em 1992

No Mês passado postamos em nossas redes sociais um vídeo – assista abaixo – de uma reportagem  sobre  a Primeira Olimpíada Brasileira de Videogames, realizada pela Supergame em 1992 e contando com 18 competidores – 17 garotos e uma menina. Percebemos que a nostalgia desse torneio bateu forte em nossos leitores, então  procuramos e encontramos um dos competidores, o Luiz Reginaldo Almeida Fleury Curado,  que venceu o campeonato na categoria Master System. Ele nos passou um relato detalhado de como foi essa experiência inesquecível, que contou como prêmio uma viagem para a Disney! Prepare a nostalgia e venha com a gente voltar para a década de 90 por meio das lembranças do Luiz desse inesquecível torneio! *Alguns anos atrás o Luiz contou sua história para o Daniel Lemes do site Memória Bit, junto com outros participantes, vale a pena dar uma conferida! ENTREVISTA Luiz, conte sua história com os videogames…

Moonwalker: Michael Jackson também salvou crianças no Mega Drive

Michael Jackson´s Moonwalker não é um, mas três jogos diferentes lançados para os sistemas da SEGA. A edição de Master System é um demake da versão de Mega Drive, enquanto nos Arcades se trata de um jogo diferente. O que une os três é que o game se baseia na história do filme homônimo e o objetivo é fazer o Michael Jackson salvar crianças do malvado Mr.Big em fases que remetem aos videoclipes do astro com músicas do cantor em versões de chiptune. POR QUE THRILLER NÃO ESTÁ NO JOGO? Não há muitas informações sobre os bastidores, nem da versão de Arcades e nem a edição para consoles. No entanto, um ponto de extenso debate é referente a trilha sonora da fase dos zumbis, que utiliza a faixa não tão conhecida “Another Part of Me” do álbum Bad, enquanto a fase é uma clara referência ao videoclipe de “Thriller”. Acredita-se…

Power Strike – Ação furiosa neste jogo de nave para Master System!

“Power Strike” é lembrado pelos fãs como um dos melhores jogos de navinha para o Master System, lançado originalmente para o sistema em 1988. Porém, fãs de shoot-‘em-ups devem saber que o game é na verdade uma versão do clássico “Aleste” da saudosa produtora Compile, lançado neste mesmo ano para o sistema MSX. No Japão o jogo para Master System, que foi produzido pela Sega, recebeu o nome de “Aleste” mesmo, porém no lançamento internacional foi rebatizado de “Power Strike”. SALVE A HUMANIDADE! A história do jogo diz respeito a um supercomputador que foi infectado por um vírus e agora está eliminando a raça humana por meio de plantas mutantes e o uso de nossos próprios arsenais bélicos. Agora a única esperança de salvação é o piloto e sua nave Power Strike (ou Aleste, se preferir). A Sega fez um excelente trabalho na conversão, conferido ao jogo visuais incríveis, uma…

Mortal Kombat – Violência e polêmica marcam primeiro jogo da série

Dispensando apresentações, o primeiro Mortal Kombat ficou famoso em seus primórdios por utilizar atores digitalizados para representar os personagens que, somado ao alto nível de violência, acabou gerando polêmica. Isso porque, na época, videogame era considerado pelos adultos uma espécie de brinquedo focado nas crianças e não uma mídia interativa como é vista hoje em dia. Por isso, um jogo onde saía sangue, “cabeça explodindo” e personagens sendo decepados era algo que muita gente acabava “torcendo o nariz”. Este game, aliado ao também polêmico Night Trap lançado para o SEGA CD, levaram a criação do órgão classificador ESBR, que indicava qual faixa etária era adequada para tal jogo. Era o “primeiro passo” para que os games deixassem de ser apenas “coisa de criança”. UM POUCO DE HISTÓRIA https://youtu.be/ilJPjcPVA_U O jogo original, produzido pela Midway ,teve seu desenvolvimento iniciado em 1991 com apenas quatro pessoas: Ed Boon na programação, John Tobias…